Rondônia, - 01:41
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco

 

Você está no caderno - Notícias da Amazônia
exploração de madeira e mineração
WWF divulga dossiê sobre redução de UCs para exploração de madeira e mineração
A Flona Nacional do Jamanxim está ao lado da BR -163, que corta o Pará. A Câmara dos Deputados tirou a proteção da floresta pública em uma região crítica
Publicado Quinta-Feira, 18 de Maio de 2017, às 08:59 | Fonte Assessoria WWF 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=328938&codDep=38" data-text="WWF divulga dossiê sobre redução de UCs para exploração de madeira e mineração
  
 
 

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira (16) a Medida Provisória 756 que altera os limites da Floresta Nacional do Jamanxim (Flona), no município de Novo Progresso no Pará, transformando parte da unidade de conservação em Área de Proteção Ambiental (APA). Apesar de ser uma unidade de conservação, a APA tem critérios mais flexíveis. Na prática, a MP libera para exploração na Amazônia uma área que equivale a três vezes a cidade de São Paulo.

A Flona Nacional do Jamanxim está ao lado da BR -163, que corta o Pará. A Câmara dos Deputados tirou a proteção da floresta pública em uma região crítica de desmatamento e que registra uma forte atuação do crime organizado no roubo de madeira, grilagem de terras e garimpo em toda a região amazônica.  

Dossiê lançado hoje pelo WWF-Brasil alerta que a redução das áreas protegidas no Brasil pode resultar em mais desmatamento na Amazônia, com prejuízo das metas brasileiras para a redução das emissões de gases de efeito estufa acordadas na Convenção de Clima das Nações Unidas, além de ameaçar os compromissos assumidos pelo país na Convenção de Diversidade Biológica das Nações Unidas (CBD).

Segundo o documento, a desconstrução das unidades de conservação no Brasil tem um potencial de estrago enorme. Um dos projetos que tramita no Congresso Nacional, o PL 3751, torna inválidos todos os atos de criação de UCs cujos proprietários privados não foram indenizados em cinco anos. Seria como anular 56 mil quilômetros quadrados de território preservado. Essa é a extensão de terras privadas não indenizadas no interior de UCs federais, de acordo com  Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

 

Acesse o documento o aqui.








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em Notícias da Amazônia


Tempo fica nublado nesta sexta-feira (19) em todas as regiões do Acre, prevê Sipam
Há previsão de pancadas de chuvas seguidas de trovoadas em áreas isoladas....


Arte indígena Kusiwa do Amapá tem reavaliação inédita pelo Iphan
Registrada como Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil e da Humanidade, a pintura corporal e arte gráfica Kusiwa, produzida por índios Wajãpi,...


Sefa apreende duas balsas com madeira irregular no rio Pará
Carga equivalente a 40 campos de futebol era transportada sem nota fiscal e guia florestal. Madeira será entregue à Semas nesta quinta-feira, 4....


Indígenas em cargos no governo do Amapá facilitam acesso de povos a serviços
Gerências foram criadas em 2015 e são indicadas pelas próprias aldeias em Macapá e Oiapoque. Aproximação visa auxílio rápido em serviços de saúde, educação e assistência social. ...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
728x90 350x90
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE