Rondônia, - 01:44
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco

 

Você está no caderno - NACIONAL
nacional
Sem acordo, rodoviários de Salvador ameaçam parar
Publicado Sexta-Feira, 12 de Maio de 2017, às 09:43 | Fonte A tarde.com.br 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=328649&codDep=30" data-text="Sem acordo, rodoviários de Salvador ameaçam parar
  
 
 

 

Impasse durante a negociação com patrões levou categoria a aprovar estado de greve - Foto: Anderson Sotero | Ag. A TARDE | 11.05.2017

Anderson Sotero | Ag. A TARDE | 11.05.2017 - Impasse durante a negociação com patrões levou categoria a aprovar estado de greve

 

 

 

 

 

 

Rodoviários de Salvador aprovaram, em assembleia na manhã desta quinta-feira, 11, estado de greve da categoria. A previsão é que, se não houver negociação com os empresários, eles suspendam as atividades. Agora, é necessário cumprir o prazo de 72 horas antes da paralisação. À tarde, uma segunda reunião dos trabalhadores confirmou em votação a decisão tomada pela manhã. 

Na assembleia, foi decidido, também, que o sindicato vai pedir à Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) que faça a intermediação com a Integra, entidade que representa os patrões (o antigo Setps). 

Após a assembleia da tarde, cerca de mil rodoviários, segundo estimativa do próprio sindicato, caminharam em passeata da ladeira dos Aflitos até a prefeitura, na praça Municipal. 

Segundo o presidente do sindicato dos rodoviários, Hélio Ferreira, a decisão é decorrente da campanha salarial 2017/2018, iniciada em 28 de março, quando foi entregue aos empresários uma pauta com as reivindicações da categoria.

Ferreira contou que, após cinco rodadas de encontros, a negociação está “travada”. Eles pedem aumento pela inflação e mais 5% de ganho real, tíquete refeição de R$ 20 por dia, plano de saúde pago pelos empresários – hoje os trabalhadores pagam 30% –, além do fim da dupla função de motoristas, quando dirigem e cobram a passagem.

“Queremos, ainda, a manutenção dos postos de cobradores que os patrões querem tirar. Eles também não querem pagar hora extra e pretendem fazer um banco de horas. Isso a gente não aceita”, afirmou.

Ainda segundo Ferreira, os empresários não aceitaram a pauta e não querem dar aumento. “A gente espera que a Semob chame os empresários para fazer uma contraproposta e destrave essa negociação”.

O assessor de relações sindicais da Integra, Jorge Castro, disse que as alegações de Ferreira “são verdadeiras”, e que “é difícil” conceder reajuste. “Quem pede o céu eu não vou nem responder”, disse ao A TARDE.

Castro ressaltou que a situação das empresas de ônibus é “crítica”, e confirmou que as negociações estão travadas. “Talvez o Ministério Público do Trabalho chame para negociação. Precisamos compensar hora extra porque falta dinheiro para pagar. Temos que tirar cobradores nas linhas de baixa demanda”, acrescentou.

Sobre a possibilidade de greve, ele afirmou que os empresários vão aguardar: “Vamos ficar quietos no nosso canto e aguardar. Se tiver greve, vamos pedir ao Tribunal (Regional do Trabalho) para julgar”.

De acordo com a assessoria do MPT, até esta quinta não havia nenhum pedido de rodoviários ou de empresários para intermediar as negociações. 

O secretário de Mobilidade, Fábio Mota, contou que está marcada uma reunião com os rodoviários na próxima segunda-feira, às 10h. “Na segunda, vou começar a atuar. Não acredito em greve nesse dia. Vou ouvir eles, ver quais serão as propostas”.

À tarde, o secretário planeja se encontrar com os empresários para tentar estabelecer nova negociação. “É evidente que o país passa por uma situação complicada”, disse.

Cobrador

Cobrador há três anos, Paulo Nilo, 27, teme a possibilidade de retirada dos postos de trabalho. “Eu me sinto ameaçado com essa intenção de tirar os cobradores. Por trás de mim tem uma família para sustentar. Tem o lado do motorista também, que passará a exercer dupla função”, destacou.

O motorista Leonardo Nascimento, 34, também reclamou da intenção de retirada. “Eu acho que é errado, porque eles não estão no nosso dia a dia na rua para ver. Se houver um cadeirante, o motorista vai ter que desligar o carro? O empresário só quer lucrar. Não quer abrir mão de nada”, criticou.

O vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Intermunicipal no Estado da Bahia (Sindinter), Leonicio Maciel, afirmou que os rodoviários intermunicipais também estão em estado de greve.

“Estamos pedindo o mesmo que os rodoviários  urbanos. Tivemos rodadas de negociação e não houve resultado”, revelou.

A TARDE procurou a Associação das Empresas de Transporte Coletivo Rodoviário do Estado da Bahia (Abemtro), mas não conseguiu localizar nenhum representante.

 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em NACIONAL


Reforma da Previdência pode ser aprovada até julho, diz Caetano
...


Não há plano B para reforma da Previdência, diz secretário
...


Feirão da casa própria da Caixa movimenta R$ 10,2 bi em negócios
...


ANTT aprova reajuste de tarifa de pedágio da Ponte Rio-Niterói
...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
728x90 350x90
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE