Rondônia, - 01:50

 

Você está no caderno - Ação Parlamentar
Rebanho de Rondônia
Rebanho de Rondônia poderá ser livre da aftosa sem vacinação
O presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (PMDB), e o presidente da Agência de Defesa Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), Anselmo de Jesus, discutiram a possibilidade real de Rondônia tornar-se área livre da febre aftosa, sem vacinação.
Publicado Segunda-Feira, 3 de Abril de 2017, às 11:34 | Fonte Ale - Ascom 0

 
 

 

O presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (PMDB), e o presidente da Agência de Defesa Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), Anselmo de Jesus, discutiram a possibilidade real de Rondônia tornar-se área livre da febre aftosa, sem vacinação.

 

"A medida traria muitos benefícios para a economia rondoniense. Primeiro, porque a carne teria os mercados mundiais abertos, sem restrição alguma. Depois, os produtores deixariam de ter o custo da vacinação, sem contar nas perdas no manejo para a imunização", destacou Maurão.

 

Anselmo ressaltou que desde 2003 que o Estado ostenta o título de livre da aftosa, com vacinação. "Mudar de status seria um avanço enorme. E como temos feito direitinho o dever de casa, a nossa expectativa de nos tornarmos livres sem a vacinação é muito grande. E estamos bem perto disso", comemorou.

 

Maurão lembrou que tratou da questão com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, em recente encontro na capital. "Não há focos em nenhuma região do País e Rondônia cumpre bem o seu papel, graças principalmente aos criadores, que há 18 anos vacinam o rebanho. As informações que temos são de que, seja qual for o cenário, o Estado está na linha de frente para ter a vacina obrigatória retirada, o que pode acontecer nos próximos anos", completou.

 

Uma audiência pública, requerida também pelo deputado Lazinho da Fetagro (PT), deverá ocorrer em breve, em Ji-Paraná, para discutir esse importante tema. Dela, deverá participar o vice-presidente de Relações Internacionais da Pecuária de Corte (CNPC), Sebastião Guedes, um dos defensores da suspensão da vacina.

 

"Para vacinar o rebanho, é preciso mobilizar gente e gastar com a compra da vacina. Tem também os efeitos sobre o gado. Uma vaca de leite fica até três dias sem produzir, após ser vacinada. No caso do gado de corte, essa perda chega, em média, a R$ 30 por cabeça. É que a carne na região onde a vacina é aplicada, é descartada no abate", explicou Jesus.

 

Um levantamento prévio mostra que, para imunizar as mais de 14 milhões de cabeças, nas duas campanhas anuais de vacinação, sejam gastos R$ 30 milhões, pelos produtores.

 

Uma das propostas debatidas é a suspensão da vacina iniciar nos Estados do Centro Sul do País, em 2019. "Por nosso trabalho de controle com vacinação, a possibilidade de entrarmos nesse grupo de imediato, é enorme", observou Jesus.

 

 

 

 

ALE/RO - DECOM - Eranildo Costa Luna

Foto: Marisvaldo José

 







Veja também em Ação Parlamentar


O Norte também tem cachaça
Por intermédio do meu amigo Jackson Jibóia tive o prazer de ter acesso ao anuário “A Cachaça no Brasil-Dados de Registro de Cachaças e Aguardentes-Ano 2020” publicado pelo Ministério da Agricultura......


Comissão especial encerra atividades, mas aguarda laudos da ponte
Os trabalhos da Comissão Temporária Especial, que averiguou denúncia de possível rachadura nos pilares da ponte interestadual em construção sobre o rio Madeira interligando Rondônia e Acre, foram encerrados na tarde desta quarta-feira (7)....


Só na Bença pede recuperação da estrada do Belmont e da RO 420
O deputado Só na Bença (MDB) indicou ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER), sobre a necessidade de recuperar a estrada do Belmont localizada no bairro Nacional em Porto Velho e a RO 420 que liga o Distrito de União Bandeirantes a BR 364....


Anderson do Singeperon realiza Audiência Pública para discutir mudanças na administração estadual
O deputado Anderson do Singeperon (PV) realizou Audiência Pública no plenário da Casa de Leis na manhã desta segunda feira (20) para discutir as alterações administrativas do Poder Executivo Estadual em relação aos servidores....

 




 
Pub
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News