Rondônia, - 03:29

 

Você está no caderno - Ação Parlamentar
Rebanho de Rondônia
Rebanho de Rondônia poderá ser livre da aftosa sem vacinação
O presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (PMDB), e o presidente da Agência de Defesa Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), Anselmo de Jesus, discutiram a possibilidade real de Rondônia tornar-se área livre da febre aftosa, sem vacinação.
Publicado Segunda-Feira, 3 de Abril de 2017, às 11:34 | Fonte Ale - Ascom 0
https://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=325550&codDep=53" data-text="Rebanho de Rondônia poderá ser livre da aftosa sem vacinação

  
 
 

 

O presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (PMDB), e o presidente da Agência de Defesa Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), Anselmo de Jesus, discutiram a possibilidade real de Rondônia tornar-se área livre da febre aftosa, sem vacinação.

 

"A medida traria muitos benefícios para a economia rondoniense. Primeiro, porque a carne teria os mercados mundiais abertos, sem restrição alguma. Depois, os produtores deixariam de ter o custo da vacinação, sem contar nas perdas no manejo para a imunização", destacou Maurão.

 

Anselmo ressaltou que desde 2003 que o Estado ostenta o título de livre da aftosa, com vacinação. "Mudar de status seria um avanço enorme. E como temos feito direitinho o dever de casa, a nossa expectativa de nos tornarmos livres sem a vacinação é muito grande. E estamos bem perto disso", comemorou.

 

Maurão lembrou que tratou da questão com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, em recente encontro na capital. "Não há focos em nenhuma região do País e Rondônia cumpre bem o seu papel, graças principalmente aos criadores, que há 18 anos vacinam o rebanho. As informações que temos são de que, seja qual for o cenário, o Estado está na linha de frente para ter a vacina obrigatória retirada, o que pode acontecer nos próximos anos", completou.

 

Uma audiência pública, requerida também pelo deputado Lazinho da Fetagro (PT), deverá ocorrer em breve, em Ji-Paraná, para discutir esse importante tema. Dela, deverá participar o vice-presidente de Relações Internacionais da Pecuária de Corte (CNPC), Sebastião Guedes, um dos defensores da suspensão da vacina.

 

"Para vacinar o rebanho, é preciso mobilizar gente e gastar com a compra da vacina. Tem também os efeitos sobre o gado. Uma vaca de leite fica até três dias sem produzir, após ser vacinada. No caso do gado de corte, essa perda chega, em média, a R$ 30 por cabeça. É que a carne na região onde a vacina é aplicada, é descartada no abate", explicou Jesus.

 

Um levantamento prévio mostra que, para imunizar as mais de 14 milhões de cabeças, nas duas campanhas anuais de vacinação, sejam gastos R$ 30 milhões, pelos produtores.

 

Uma das propostas debatidas é a suspensão da vacina iniciar nos Estados do Centro Sul do País, em 2019. "Por nosso trabalho de controle com vacinação, a possibilidade de entrarmos nesse grupo de imediato, é enorme", observou Jesus.

 

 

 

 

ALE/RO - DECOM - Eranildo Costa Luna

Foto: Marisvaldo José

 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

ADS NEWS 5

Veja também em Ação Parlamentar


ALE aprova PLCs do Tribunal de Contas que favorecem financeiro do Iperon
Os projetos têm o objetivo de ajudar a questão econômico-financeira da Instituição...


Deputado Cleiton Roque entrega nota de empenho a prefeito de Espigão do Oeste
Recursos serão utilizados na recuperação de estradas durante a estiagem em 2019...


Maurão convoca sessão extraordinária para esta terça (18) para votar orçamento 2019 e outras 10 matérias
Ato legislativo está previsto para iniciar às 10h para deliberar sobre orçamento 2019 e outros 10 projetos...


Maurão de Carvalho assina protocolo da implantação da rádio e TV Assembleia
Presidente da Assembleia assinou o documento que garante a efetivação das transmissões em rádio e TV...

 


ADS NEWS 3




 
 
 
 
EMRONDONIA.COM

Tereré News