Rondônia, - 02:50

 

Você está no caderno - Agronegocios / Pecuária
espinha na garganta
ENCONTRO DE CARCINICULTORES DO VALE DO JAGUARIBE: COM FOCO NA MANCHA BRANCA
Publicado Quarta-Feira, 29 de Março de 2017, às 21:54 | Fonte Antônio Almeida 0
https://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=325275&codDep=50" data-text="ENCONTRO DE CARCINICULTORES DO VALE DO JAGUARIBE: COM FOCO NA MANCHA BRANCA

  
 
 

Com o objetivo de oferecer alternativas aos carcinicultores do Vale do Jaguaribe, estaremos realizando uma grande reunião com os produtores de camarão dos municípios de Nova Jaguaribara e Alto Santos e, ao mesmo tempo, estamos estendendo o convite aos demais municípios do Vale do Jaguaribe — dentre eles: Aracati, Fortim, Itaiçaba, Jaguaruana, Russas, Limoeiro do Norte, São João do Jaguaribe, Taboleiro do Norte, Morada Nova, Icó e Orós.

            Para tanto, estamos trazendo pela primeira vez ao estado do Ceará o fabricante do Produto N-CONTROL, Dr. Claúdio Caleb Monteiro, Engenheiro Agrônomo, com Pós-Graduação em Biotecnologia, ESALQ-USP, Engenheiro responsável pela Empresa Kayros Ambiental e Agrícola Ltda., que irá falar sobre a concepção e nascimento deste Produto – o N- CONTROL - Um MIX à base de Enzimas + Microorganismos que tem o poder de promover a qualidade da água e tornar o ambiente aquático ambientalmente, sustentável; ecologicamente, equilibrado; tecnicamente, factível; economicamente, viável e, socialmente, justo  e, assim, possibilitar a convivência pacífica do camarão com a Síndrome do Vírus da Mancha Branca (WSSV).

           

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DO ENCONTRO

 

DATA: DIA 6 DE ABRIL DE 2017.

HORÁIO: DE 15h:00 ÀS 18h:00 MIN.

LOCAL: MUNICÍPIO DE NOVA JAGUARIBARA-CE

PALESTRANTES:

 

CLAÚDIO CALEB MONTEIRO: Engenheiro Agrônomo e Pós-Graduado em Biotecnologia – ESALQ - USP.

·         Composição do Produto N-CONTROL e os elementos biotecnológicos utilizados na fabricação do N-CONTROL.

·         Histórico do N-CONTROL e o princípio ativo e suas propriedades físico-químicas e limnológicas  que atuam na melhoria da qualidade da água.

 

ANTÔNIO DE ALMEIDA SOBRINHO: Engenheiro de Pesca, Pós-Graduado em Análise Ambiental na Amazônia Brasileira e Mestre em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente, com experiência em Unidade Demonstrativa (U.D), como método utilizado e para comprovar a eficiência e eficácia de Produtos MIX e inovadores no tratamento de água, com fins aquícolas.

 

·         Como fazer a profilaxia no cultivo de camarão, com a espécie Litopenaeus vannamei, seguido todas as etapas recomendadas — desde a assepsia do viveiro à utilização de produtos orgânicos e químicos, revestimento dos tanques, preparação de estufas, renovação e recirculação de água e utilização do Produto N-CONTROL, de forma correta.  

·         Como Implementar a Unidade Demonstrativa (U.D), com um módula padrão de 1,0 de lâmina de água, e seguir detalhadamente todos os passos e procedimentos que a atividade necessita.

 

AMBIENTE EQUILIBRADO

 

            Quando o ambiente está ambientamente equilibrado, os animais aquáticos (camarão) se alimentam normalmente e ficam resistentes ao WSSV e, desta forma, o cultivo de camarão ocorre de forma pacífica e conseguem esta convivência pacífica, ao lado do inimigo, e os carcinicultores que estão utilizando o Produto N-CONTROL estão alcançando resultados satisfatórios e obtendo bons resultados.

 

OBJETIVO DO ENCONTRO:

            Os países maiores produtores de camarão do mundo, com destaques aos asiáticos (convivem com 54 tipos de vírus) tendo como referências o Japão, China, Tailândia, República da Coréia do Sul, EUA, México e Equador (convive com 10 tipos de vírus), dentre outros, estão superando sucessivas crises dos ataques de vários vírus, dentre eles o da Síndrome do Vírus da Mancha Branca, (WSSV) e estão superando através de uso de tecnologias alternativas de última geração, com emprego de PRODUTOS PROBIÓTICOS E PRODUTOS PREBIÓTOS, renovação e recirculação de água, redução da densidade de estocagem, revestimento dos viveiros com materiais orgânicos e sintéticos, preparação estufas, aquecedores de água e tratamento químico para reuso da água, e manejo adequado, dentre outros.

            A aquicultura do Brasil vem sofrendo com três problemas e estes têm se agravado e se tornados cruciais na atual conjuntura política, sem perspectivas de melhoras, a curto e médio prazos, nos seguintes pontos:

A QUALIDADE DA AGUA:


Como sabemos, a aquicultura necessita de água de boa qualidade para que os organismos aquáticos aí cultivados possam disponibilizar de um meio aquático, ambientalmente, sustentável; ecologicamente, equilibrado; tecnicamente, factível; economicamente, viável e, socialmente, justo.

 

A QUANTIDADE DE AGUA:


O Brasil possui 5,5 milhões de hectares de águas improdutivas, provenientes de represas hidrelétricas e em açudes privados e de domínio público e, paradoxalmente, em grandes estiagens no Nordeste não acontece a todo e quaisquer momento grandes volumes de água.

 

A ATUAL CONJUNTURA POLÍTICA:


                     A instabilidade política a que vem atravessando o país e mudanças periódicas do setor pesqueiro e aquícola são fatores que contribuem negativamente para insegurança desta atividade, em detrimento da produção de pescado, em nível nacional; da escassez de planejamento estratégico e do bem estar socioeconômico dos usuários da pesca e da aquicultura, em nível nacional - que vem mudando constantemente e pulando de galho em galho, a todo instante.

                     Com a extinção do Ministério da Pesca e Aquicultura MPA, em 2015, e agora com a saída do MAPA para o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços levando o que restou das atribuições do Setor Pesqueiro e Aquícola do extinto PMA e não temos dúvidas de que a produção nacional tende a diminuir e os maiores prejudicados serão os pescadores artesanais e os aquicultores e a maior vítima desta saga decrescente será a população -- que pagarão o ônus dos erros ao consumir menos pescado e com um preço muito alto.

ATUAÇÃO TÉCNICA

 

                     Neste sentido, estamos atuando em nível nacional, em parceria com a KAYROS AMBIENTAL E AGRÍCOLA LTDA para promover a melhoria da qualidade da água, potencialmente apta para à prática da aquicultura, em sistemas semi-intensivo e intensivo, tanto na região Norte e Nordeste do Brasil -- focado, nos estados de Rondônia, como o maior produtor de pescado do Brasil, e no estado do Ceará, como maior produtor de camarão do Brasil e vitimado com a Síndrome do Vívus da Mancha Branca (WSSV), sempre focado na melhoria da qualidade da água, como mecanismo biotecnológico e limnológico seguro na qualidade e no aumento de produtividade da produção pesqueira, proveniente da piscicultura e da carcinicultura.

 

                     No momento, estamos atuando na convivência pacífica do cultivo de camarão, com a espécie Litopenaeus vannamei, com a Síndrome do Vírus da Mancha Branca (WSSV), quando resultados exitosos estão sendo obtidos com a utilização do Produto N-CONTROL, um MIX produzido nos Laboratórios da USP e ESALQ, em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa  do Estado de São Paulo  - FAPESP e a FINEP – Ciências, Tecnologia, Inovações, e Comunicações – Financiadora de Estudos e Projetos —  e fabricado pela Empresa KAYROS AMBIENTAL E AGRÍCOLA LTDA e por nós distribuído, através de Contrato de Parceria Técnica e como Distribuidor para os estados de Rondônia e Ceará.

 

                     Quando você usa o Produto N-CONTROL a Síndrome do Vírus da Mancha Branca dobra a esquina de sua Fazenda e passa bem longe.

Veja o Produto N-CONTROL e seus benefícios para a Piscicultura e para a Carcinicultura.

VOCÊ PODE ACREDITAR!!! E se você não acredita. É um direito que lhe assiste.

Qual a saída prática e inteligente?

VAMOS FAZER O TESTE DE SÃO TOMÉ. VER PARA CRER.

 

                     Veja o registro fotográfico do mais recente curso ministrado em Rondônia: Boas Práticas no Cultivo de Peixe e Camarão com Uso de Probióticos.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, árvore, atividades ao ar livre e natureza

LANÇAMENTO DO PRODUTO N-CONTROL EM RONDÔNIA

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé

Antônio de Almeida sobrinho e Claúdio Caleb Monteiro

COMO ESTAMOS TRABALHANDO:

            O prezado leitor e carcinicultor tem que ter muita cautela e não comprar gato por lebre. A Síndrome do Vírus da Mancha Branca não tem cura, não tem remédio e até a presente data não conhecemos nenhum processo curativo.

            Estamos falando porque a indicação do Produto N-CONTROL tem a capacidade de promover a melhoria da qualidade da água de uma forma tão eficiente e eficaz que nós estamos recomendando que os carcinicultores dos municípios do Vale do Jaguaribe façam o TESTE DE SÃO TOMÉ: VER PARA CRER.

            VEJA COMO FUNCIONA:

            PASSO Nº 01:

1.    Realizamos Encontros de Carcinicultores Municipais e Regionais  e utilizamos os meios de comunicação, tais como: Rádio, TV, Blog ESPINHA NA GARGANTA, os Portais de Notícias e as principais redes sócias, visitas e reuniões familiares e empresariais e visitas à Fazendas de Criação de Camarão e mostramos que o Produto N-CONTROL tem um papel decisivo na melhoria da qualidade da água – com: i) a redução do Nitrogênio (N); ii) Redução do Fósforo (P);  iii) Reduz de 95% do lodo acumulado no fundo do tanque; iv) Reduz em 80% a presença de algas; v)  Aumenta a disponibilidade de oxigênio livre na água; vi) Melhoria da sanidade da água e dos animais aquáticos; vii) Redução dos custos de limpeza do tanque; viii) Distancia a necessidade de limpeza do tanque; ix) Reduz a mão de obra; x) Aumenta a rentabilidade do criador;            xi) Aumenta a transparência da água.

 

2.    Dimencionado o empreendimento, implementa-se uma Unidade Demostrativa (U.D) em 1,0 ha de cultivo de camarão, com a espécie Litopenaeus vannamei, em conformidade com o ciclo desejado pelo carcinicultor, com as densidades de estocagens que variam de 8 a 18 PL’s/m².

 

3.    O carcinicultor não irá ter despesas com Consultoria Técnica, Visitas Técnicas e nem Assistência Técnica e a única despesa que ele assumirá será com a aquisição do Produto N-CONTROL que está sendo comercializado nesta fase, provisoriamente subsidiado e é disponibilizado, abaixo do preço dos demais Produtos Probióticos comercializados, por vendedores habituais.

 

4.    No município de Aracati implementou-se 16 Unidades Demonstrativas (U.D) em Fazendas de Camarão, algumas com resultados surpreendentes e sem a presença do Vírus da Mancha Branca (WSSV) e em Jaguaruana com 14 Unidades Demonstrativas(U.D)  implementadas e uma delas com resultados concretos e animadores.

 

5.    UNIDADE DEMONSTRATIVA IMPLEMENTADA:

 

·         1,0 ha DE CAMARÃO NO PÓS-MANCHA

·         O carcinicultor IGOR SANTIAGO, pequeno carcinicultor no municipio de Jaguaruana-CE, a 132 km de Fortaleza, está produzindo camarão da espécie Litopenaeus vannamei, com 1,0 ha de lâmina d'água, com uma densidade de 14PL's/m2.

·         O experimento foi instalado, com 240.000 PL's 15, e seguindo nossa recomendação este utilizou o Produto N-CONTROL, na dosagem correta e o resultado foi surpreendente.

 

RESULTADO DO EXPERIMENTO:

·         Após 77 dias de cultivo, utilizando 2 aeradores, de acordo com os horários previstos pela ANEEL, a produção foi surpreendente:

§   Uma produção de 1.730 kg/ha;

§   Média de camarão com 14 g;

§   Preço comercializado no mercado: R$ 34,50/kg.

§  Sobrevivência superior a 80%

Para maiores informações, estamos atendendo neste WhatsApp 69 9 9220-9736.

 

SURGIMENTO DA SÍNDROME DO VÍRUS DA MANCHA BRANCA

A partir de 2015 e início de 2016 a carcinicultura do estado do Ceará foi vitimada com a Síndrome do Vírus da Mancha Branca (WSSV – White Spot Syndrome Virus) —  um vírus que pode dizimar um viveiro em até três dias, não tem no atual momento nenhum tratamento curativo e quem tem tecnologia está criando camarão e comercializando, a preços que chegam até a quatro vezes  ao praticado no mercado consumidor, antes do advento do WSSV.

 

O estado do Ceará como o maior produtor de camarão do Brasil, com uma produção de 65% de todo camarão produzido no Brasil foi o que mais sofreu com o surgimento da Mancha Branca (WSSV) e vem sofrendo, quando os principais projetos do Pólo Camaroeiro do Ceará tiveram que se adaptar à nova realidade e tecnologias modernas estão sendo adotadas como mecanismo de superação, a fim de salvar o que restou e com as tecnologias adotadas e difundidas através de Unidades Demonstrativas (U.D) quando estamos mostrando uma LUZ QUE SE ACENDEU NO FINAL DO TÚNEL: um produto gerado no ventre dos Laboratórios da Universidade de São Paulo – USP e – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz – ESALQ, com  em parceria com a FAPESP e FINEP. 

Antônio de Almeida Sobrinho é Engenheiro de Pesca, Pós-Graduado em Análise Ambiental na Amazônia Brasileira e Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente e atual no Norte e Norte do Brasil, em Rondônia, com vistas à melhoria da piscicultura e no estado do Ceará com a revitalização da carcinicultura, vitima com o ataque da Símdrome do Vírus da Mancha Branca. 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em Agronegocios / Pecuária


Banco da Amazônia exclui tarifa para agronegócio
Segundo a CNA, produtor era cobrado indevidamente pela análise de projetos apresentados para financiamento no Fundo Constitucional do Norte...


Estudantes visitam Viveiro Cidadão em Rolim de Moura
Os estudantes participaram de uma visita guiada, onde conheceram as etapas de produção de mudas que são produzidas no viveiro e as sementes de diversas espécies nativas......


Embrapa lança boletim periódico com dados agropecuários de Rondônia
A primeira edição traz informações dos últimos 40 anos de atividades do setor...


Diretoria técnica do Sebrae se reúne com comitê gestor da cafeicultura de Rondônia
O Projeto Cafeicultura de Rondônia oferece e divulga conhecimentos inovadores sobre assuntos pertinentes à atividade....

 

::: Publicidade :::


:: Publicidade :::

 
 
 
 
EMRONDONIA.COM