Rondônia, - 10:31

 

Você está no caderno - Rondônia
SUS
Sistema Único de Saúde apoia pesquisadores de Rondônia no seminário que abre portas para intercâmbio científico interestadual
A coordenadora do Programa de Pesquisas para o Sistema Único de Saúde (PPSUS), Mage Tenório, conclamou nesta terça-feira (28) pesquisadores de Rondônia a promover “agregação de laboratórios” para obter mais recursos do governo federal.
Publicado Quarta-Feira, 29 de Março de 2017, às 07:46 | Fonte Secom - Governo de RO 0
https://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=325158&codDep=34" data-text="Sistema Único de Saúde apoia pesquisadores de Rondônia no seminário que abre portas para intercâmbio científico interestadual

  
 
 

Pesquisadores apresentam trabalhos científicos até quinta-feira no evento

 

A coordenadora do Programa de Pesquisas para o Sistema Único de Saúde (PPSUS), Mage Tenório, conclamou nesta terça-feira (28) pesquisadores de Rondônia a promover “agregação de laboratórios” para obter mais recursos do governo federal.

 

Ela abriu o Seminário Marco Zero promovido pela Fundação de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas e à Pesquisa em Rondônia (Fapero), que segue até quinta-feira (30), no Larisson Hotel, em Porto Velho.

 

“São os pesquisadores que trazem respostas locais, aplicando a ciência, a tecnologia e a inovação aqui produzidas, quando todos sabem, o eixo Sul-Sudeste concentra os recursos investidos no setor”, frisou.

 

A coordenadora anunciou a criação de uma rede interestadual de pesquisadores que também beneficiará Rondônia mediante o aproveitamento do intercâmbio técnico-científico. “O pesquisador viajará para outros estados para conhecer novidades, e levará também as suas experiências”, exemplificou.

 

Para o secretário estadual de Saúde, Williames Pimentel, o resultado positivo das pesquisas em Rondônia “é a continuidade da célula embrionária, hoje valorizada pelo governador Confúcio Moura”.

 

Segundo ele, ao “ciscar para dentro”, o governo permite à academia o fortalecimento de ações de pesquisas voltadas para o bem coletivo. Até quinta-feira serão apresentados 20 projetos da chamada de 2016.

 

Entre outros exemplos, ele citou que 50% dos 3,5 mil partos feitos por ano no Hospital de Base Dr Ary Pinheiro, em Porto Velho, são de gravidez de alto risco. Desta maneira, sugeriu que a institucionalização das políticas públicas na saúde adote uma linha “tal qual a tábua de Moisés”. “Não adianta fazermos cirurgias urológicas modernas, se não tivermos próximos a academia”, apelou.

 

Lembrou que a infovia de Rondônia atualmente beneficia a saúde e facilita, de certa forma, a graduação em especialidades, de 43 médicos residentes no HB e no Hospital Regional de Cacoal.

 

Pimentel também elogiou o trabalho do Centro de Pesquisa em Medicina Tropical de Rondônia (Cepem) no monitoramento da vacina que melhora a eficácia do combate à dengue, trabalho confiado ao cientista Mauro Tada.

 

A coordenadora trouxe alento aos pesquisadores, ao anunciar que neste ano o Prêmio de Incentivo em Ciência e Tecnologia para o SUS abrirá a cada estado a oportunidade de apresentar uma experiência exitosa que será escolhida pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesau).

 

No seminário, cada coordenador de pesquisa irá expor detalhadamente o projeto de sua área e submetê-lo à avaliação da comissão constituída por doutores do Ministério da Saúde, Universidade Federal do Amazonas e Universidade Federal de Rondônia.

 

 

Secretário Pimentel agradece pesquisadores, ao lado do presidente da Fapero, Francisco Elder, e da representante do PPSUS, Mage Tenório

Secretário Pimentel agradece pesquisadores, ao lado do presidente da Fapero, Francisco Elder, e da representante do PPSUS, Mage Tenório

 

 

Em 15 anos, o PPSUS garantiu 80% dos recursos para pesquisas no segmento, de dez estados brasileiros.

 

“O modelo do PPSUS é excelente, outras instituições de fomento podem adotá-lo”, elogiou o presidente da Fapero, Francisco Elder Souza de Oliveira.

 

A Fapero investiu até agora R$ 30 milhões em apoio a pesquisas de diversas instituições.

 

Mencionando o perfil regional, lembrou que um terço das propostas não alcançaram mérito suficiente, o que indica a necessidade de melhorar. “Nunca antes na história deste estado governador algum considerou a ciência investimento e não um simples gasto”, ponderou. 

 

 

Fonte

Texto: Montezuma Cruz

Fotos: Daiane Mendonça

Secom - Governo de Rondônia

 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em Rondônia


Alunos de Graduação apresentam resultados de pesquisas durante Seminário de Iniciação Científica, em Porto Velho
Integração entre estudantes e criatividade a todo vapor. Esse foi o resultado observado durante o 2° Seminário de Iniciação Científica da Fundação de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas e à Pesquisa do Estado de Rondônia ...


Associações de Alta Floresta d’Oeste recebem Certificado de Registro no Sispar
Associações de Alta Floresta d’Oeste foram beneficiadas com o recebimento do Certificado de Registro no Sistema Integrado de Parcerias e Descentralização da Execução das Políticas Públicas e Serviços não Exclusivos do Estado (Sispar)....


Curso avançado vai garantir resultados mais eficientes nas perícias criminais de Rondônia
Com o objetivo de conhecer novos estudos e experiências que estão sendo desenvolvidas no campo da tecnologia do DNA Forense, que impactarão na otimização dos resultados de perícias na área da genética forense, consequentemente, na confecção de prov...


DER participa da campanha de doação de sangue em Porto Velho
A campanha de doação de sangue Pedalando pela Vida, realizada pelo grupo Ciclista Sangue Bom, de Porto Velho, tem a meta de atingir pelo menos 400 doações em oito dias, ou seja, média de 50 coletas por dia. ...

 

::: Publicidade :::


:: Publicidade :::

 
 
 
 
EMRONDONIA.COM