Rondônia, - 08:58

 

Você está no caderno - CIÊNCIA E SAÚDE
Ciência e Saúde
Trabalhar sentado dá mais barriga do que você imagina
Publicado Sábado, 18 de Março de 2017, às 18:49 | Fonte Superinteressante 0
https://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=324032&codDep=42" data-text="Trabalhar sentado dá mais barriga do que você imagina

  
 
 

 

(iStock | CreativaImages)

 

 

Que hábitos como passar longos períodos sentados ou não fazer atividade física fazem mal à saúde todo mundo já sabe. Uma vida sedentária pode influir na disposição que temos para as tarefas diárias, além de aumentar os riscos de problemas cardíacos e respiratórios. Uma pesquisa da Warwick University, no entanto, foi um pouco mais longe: calculou com precisão o efeito direto que isso pode ter no tamanho da sua barriga.

 

A equipe do Dr. Willian Tigbe acompanhou 111 trabalhadores do serviço postal de Glasgow, na Escócia, que mantinham hábitos relativamente saudáveis, não fumavam nem possuíam histórico familiar de doenças cardiovasculares ou diabetes. Destes, 55 realizavam funções de escritório, enquanto o restante trabalhava na rua, fazendo as entregas. Monitorados por uma semana, entre setembro de 2006 e setembro de 2007, eles apresentaram diferenças bastante contrastantes: a circunferência média do quadril de quem trabalhava sentado era de 97 cm, em comparação aos 94 cm dos responsáveis pelas entregas.

 

Além do número das calças, quem trabalhava sentado tinha maior também o risco de sofrer ataque cardiovascular – 2,2% contra 1,6%, em um período de dez anos – e apresentou IMC (Índice de Massa Corporal) médio quase um ponto maior. Isso significa afirmar que o peso de duas pessoas de mesma altura poderia variar cerca de 3 kg.

 

Os resultados sugerem que os prejuízos de passar longas horas em uma mesma posição são cumulativos. A partir de cinco horas diárias sentado, cada hora extra em que permanecemos na posição pode representar aumento de 2 cm na circunferência do quadril, bem como um risco de problemas cardiovasculares em 0,2% maior. O mesmo vale para os níveis de bom e mal colesterol, mais baixos ou mais elevados a partir das mesmas cinco horas/dia.

 

Dr. Tigbe defende que para se extinguir o risco de problemas no coração, o caminho é adoção de hábitos bem diferentes. E bem distantes da realidade de quem trabalha sentado. Seriam necessários cerca de 15 mil passos diários – equivalentes a uma distância entre 11 e 12 km – ou passar pelo menos sete horas por dia de pé para compensar o período na cadeira, recomendações que fazem aquela sua barriguinha de chope não parecer mais tão ruim assim.

 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em CIÊNCIA E SAÚDE


Fhemeron recebe curso do Programa Nacional de Qualificação da Hemorrede
O Programa Nacional de Qualificação da Hemorrede (PNQH) é um programa estratégico da CGSH criado com o intuito de promover o aperfeiçoamento técnico e gerencial dos serviços de hematologia e hemoterapia do país...


Ministro da Saúde visita o Hospital de Amor da Amazônia
O ministro da Saúde, Gilberto Occhi visitou na manhã desta segunda-feira (18) as instalações do Hospital de Amor da Amazônia. Vinculado ao antigo Hospital do Câncer de Barretos o HAA teve a sua pedra fundamental lançada, em janeiro de 2015....


Doação de sangue cai 90% em Rondônia
Conforme explica a médica hematologista da Fhemeron, Ana Carolina, a situação pode se agravar nos próximos dias caso o cenário for mantido. Ela ressalta a urgência em coleta de sangue dos tipos O, A e B negativo...


Saiba como tratar as rugas profundas
...

 

::: Publicidade :::


:: Publicidade :::

 
 
 
 
EMRONDONIA.COM