Rondônia, - 20:32

 

Você está no caderno - Artigos
protestos na br-364
As mortes na BR-364 e o ministro Maurício Quintella
Uma mobilização promovida na noite da última quarta-feira por estudantes da escola João Bento da Costa resultou no fechamento da BR-364
Publicado Sábado, 11 de Fevereiro de 2017, às 11:34 | Fonte Marcelo Freire 0
https://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=321418&codDep=33" data-text="As mortes na BR-364 e o ministro Maurício Quintella

  
 
 

Uma mobilização promovida na noite da última quarta-feira por estudantes da escola João Bento da Costa resultou no fechamento da BR-364 no perímetro urbano de Porto Velho. Os estudantes e moradores  protestaram pela morte trágica da estudante Auricélia Cardoso Soares, de 15 anos, que faleceu após ser atropelada por uma caçamba. O incidente comoveu a população. 
 
 
Além de Auricélia, foi atropelada no mesmo local a estudante Marília Delvídio, que recebeu alta ontem. É o segundo acidente com morte que ocorre no mesmo local. No mês passado, um trabalhador foi atropelado por um caminhão ao tentar fazer a travessia da BR. O protesto foi a única forma encontrada por moradores para chamar a atenção das autoridades.
 
Até quando a sociedade vai assistir essa matança na rodovia federal?. Já passou da hora da BR-364 ser sinalizada e receber novas passarelas. Diariamente, centenas de pessoas fazem a travessia a pé da BR-364. São estudantes de faculdades particulares e das redes e ensino municipal e estadual que se arriscam todos os dias fazendo a travessia. O perigo aumenta principalmente no período da noite. Não existe iluminação e os motoristas  costumam não respeitar a pouca sinalização.
 
Com o período da colheita da soja, centenas de carretas transitam diariamente pela rodovia federal com destino ao Porto Graneleiro. Um levantamento produzido pelo Departamento de Estradas e Rodagem (DER) revela que mais de 5 mil veículos (entre carretas e carros populares) transitam diariamente pela rodovia, aumentando o risco de acidentes.
 
Alguém precisa chamar com certa  urgência a atenção do Ministério dos Transportes, órgão responsável pela rodovia federal. No ano passado, Porto Velho recebeu a visita do ministro Maurício Quintella, que veio ao Estado participar da solenidade de inauguração do viaduto do Trevo do Roque. Na capital, o ministro assinou a ordem de serviço para a obra de dragagem do rio Madeira, mas não se falou na liberação de recursos para a construção de passarelas.  
 
Enquanto isso, o índice de acidentes na ‘Rodovia da Morte’ está aumentando na capital e interior do Estado por conta da falta de sinalização, conversação e até mesmo imprudência dos motoristas. Até quando as autoridades políticas vão permitir que pessoas morram vítimas de acidente? Socorro ministro!
 
 
 
 

Fonte: Blog do Marcelo Freire 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em Artigos


A revogação pela Assembleia por unanimidade do decreto do Governo sobre as onze áreas de preservação
Se a moda pega, as Prefeituras de Rondônia (e certamente de todo o Brasil), poderiam entrar em sistema de falência. Porque foi aplicada a lei, em toda a plenitude, pela Justiça do nosso Estado. ...


Guerra comercial EUA x China
Via de regra, guerra comercial é definida como uma disputa entre países, gerada por utilização de mecanismos de confronto econômico, tais como embargo comercial, a imposição de barreiras alfandegárias e/ou sobretaxação da importação de produtos....


Daniel Pereira chega cheio de vontade de fazer as coisas certas e manter Rondônia no rumo do crescimento
Começa, enfim, um novo momento na história do nosso Estado. Daniel Pereira, professor, sindicalista, político que começou sua carreira no PT e hoje é o principal nome do PSB em Rondônia......


Congresso “derruba o veto” e novo Refis vem para facilitar a negociação de dívidas das pequenas empresas
O saldo restante após a entrada poderá ser pago de três formas diferentes: à vista, com desconto de 90% em juros e 70% em multa; parcelado em 145 meses, com abatimentos de 80% e 50%, respectivamente; e em 175 meses, de 50% e 25%....

 

::: Publicidade :::


:: Publicidade :::

 
 
 
 
EMRONDONIA.COM