Rondônia, - 01:09
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - Artigos
Desafios e perspectivas para o café em Rondônia
Desafios e perspectivas para o café em Rondônia
Houve também ganhos significativos em relação à receita bruta oriunda da comercialização do produto, que atingiu a cifra de 505,1 milhões de reais em 2015, com projeção de alcançar 586,7 milhões em 2016, ano em que o café conilon...
Publicado Quarta-Feira, 14 de Dezembro de 2016, às 15:41 | Fonte Calixto Rosa Neto Analista da Embrapa Rondônia 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=319006&codDep=33" data-text="Desafios e perspectivas para o café em Rondônia

  
 
 

A cafeicultura de Rondônia passa por importantes transformações. Em seis anos, enquanto a área em produção sofreu redução de 42,9% a produtividade aumentou 99,8%. Em 2011, a área em produção com a cultura no estado ocupava 153.391 ha, com produtividade média de 9,31 sacas beneficiadas por hectare, de acordo com dados do Informe Estatístico do Café, do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa, 2011). Na safra 2016 a área em produção com café é de 87.657 ha e a produtividade média esperada é de 18,56 sacas beneficiadas por hectare, segundo o Acompanhamento da Safra Brasileira de setembro de 2016 da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).
 
 
 
Houve também ganhos significativos em relação à receita bruta oriunda da comercialização do produto, que atingiu a cifra de 505,1 milhões de reais em 2015, com projeção de alcançar 586,7 milhões em 2016, ano em que o café conilon atingiu o maior nível histórico de preços. (Figura 1).
 
 
 
 
 
Figura 1 – Evolução da área plantada, produtividade e receita bruta do café - 2011-2016
* Estimativa
**Valores deflacionados pelo IGP-DI da FGV – Julho/2016.
Fonte: Conab, 2016; Mapa, 2016
 
 
Rondônia possui o maior parque cafeeiro da Região Norte do país, sendo osegundo maior produtor brasileiro de café canéfora (conilon e robusta), atrás apenas do Espírito Santo. De acordo com o segundo levantamento do acompanhamento de safra do café no Brasil, da Conab, a estimativa é que o estado tenha produzido 1,63 milhões de sacas beneficiadas nesta safra. Esta produção projeta o estado como o quinto maior produtor de café do país.
 
 
 
A visão de agentes do setor de comercialização de café no estado é de um mercado em crescimento e renovação, por meio dos novos plantios de café clonal, onde se busca aumentar a oferta do produto, com oaumento de produtividade por hectare e também de qualidade, já que os clones melhoram este aspecto por serem reproduções de plantas selecionadas,  atingem peneiras maiores e menores defeitos físicos. Mas esse ganho dependerá, sobretudo, da adoção de técnicas adequadas de pós-colheita, visando garantir a qualidade do produto final.
 
O café produzido no estado é destinado majoritariamente para a indústria de solúveis, sendo utilizado também para a formação de blends (misturas) com o café arábica. Estima-se que entre 10% e 15% da produção estadual sejam consumidos localmente, tanto puro quanto por meio da formação de blends com o arábica proveniente de outro estados.
 
Embora as perspectivas de mercado atual sejam positivas, com o café atingindo preços extremamente favoráveis na safra atual, em virtude da quebra de safra de café conilon no Espírito Santo e Vietnã – maior produtor de café do Brasil e o maior do mundo, respectivamente –, o maior desafio à frente relaciona-se à questão hídrica, pois as chuvas nos últimos anos têm sido irregulares e, na época mais importante para o desenvolvimento da planta, a seca forte eleva a temperatura, causando inúmeros prejuízos, além de secar os mananciais, reduzindo a oferta de água para irrigação. Tal situação aumenta a responsabilidade de todos os envolvidos na cadeia produtiva do café, no sentido de promover o uso racional da água disponível, adotando e observando técnicas adequadas no processo produtivo, principalmente na irrigação.
 
-----------------
 

*Mestre em administração – mercadologia e administração estratégica – e analista da área de Transferência de Tecnologia da Embrapa Rondônia, calixto.neto@embrapa.br 





Notícia visualizada Contador de visitasvezes




Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em Artigos


Tragédia e triunfo Cinta Larga em três atos
Desde que o maldito garimpo foi descoberto/impulsionado, há aproximadamente 15 anos, morreram dezenas (centenas) de pessoas. Apenas no momento mais triste, havido em abril de 2004, 29 vidas se perderam no conflito que se estabeleceu na região....


MISTÉRIO! Cada um com as mentiras que assume
Tinha semana que perdia duas cabeças… Até que um dia perdeu o boi carreiro Bandeirante, que puxava uma das carroças da sua fazenda. Amaral andou pelos alagados, passeou pelos campos procurando vestígios e carcaças, e nada. Até que adentrou numa baí...


''O grande papel do Judiciário é a proteção dos direitos fundamentais das minorias'', afirma ministro
Por mais de 30 anos, a carteira da Ordem dos Advogados do Brasil de número 37769-RJ foi a principal identificação de Luís Roberto Barroso....


Família: minoria criativa que transforma a sociedade!
Hoje acontece a abertura da Semana Nacional da Família. Nossas preces, benção e homenagens a todos os pais, de modo especial, aos pais enfermos...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE

Parceiros :::