Rondônia, - 20:28

 

Você está no caderno - Rondônia
Regularização fundiária
Incra apresenta plano de trabalho ao governo estadual para superar conflitos agrários em 10 imóveis rurais de Rondônia
O superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Rondônia, Cletho Muniz de Brito, apresentou ao governador Confúcio Moura, na manhã desta quarta-feira (14), um plano de trabalho que já está em curso para superar conflitos agrários em dez imóveis rurais onde estão 1.083 famílias de produtores, alguns deles localizados em municípios que apresentam maior recrudescimento de violência, como Seringueiras, Monte Negro e Alto Paraíso, onde já ocorreram mortes em razão da posse de terra.
Publicado Quinta-Feira, 15 de Setembro de 2016, às 13:47 | Fonte Secom - Governo de RO 0
https://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=314871&codDep=34" data-text="Incra apresenta plano de trabalho ao governo estadual para superar conflitos agrários em 10 imóveis rurais de Rondônia

  
 
 

Cletho Brito apresentou planejamento nessa quarta-feira ao governador Confúcio Moura

 

O superintendente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Rondônia, Cletho Muniz de Brito, apresentou ao governador Confúcio Moura, na manhã desta quarta-feira (14), um plano de trabalho que já está em curso para superar conflitos agrários em dez imóveis rurais onde estão 1.083 famílias de produtores, alguns deles localizados em municípios que apresentam maior recrudescimento de violência, como Seringueiras, Monte Negro e Alto Paraíso, onde já ocorreram mortes em razão da posse de terra.

 

“Estamos trabalhando para fazer a titulação dessas áreas que elencamos como prioritárias, e isso queremos resolver até o ano de 2017”, disse o superintendente, indicando ao governador que existem em Rondônia 106 ocupações em 23 municípios de Rondônia. Do total, a responsabilidade pela regularização de 79 ocupações cabe ao programa federal Terra Legal, o que significam 74,53%, e 27 (25,47% do total) é de competência do Incra.

 

Dessas áreas, três imóveis são passíveis de indenização para fins de reforma agrária. São a Fazenda Riacho Doce (Seringueiras), Fazenda Padre Cícero (Monte Negro) e Fazenda Formosa (Alto Paraíso), onde estão respectivamente os acampamentos Paulo Freire 4, Monte Verde e 10 de Maio, com o total de 320 famílias, lideradas pela Liga dos Camponeses Pobres (LCP).

 

Em outros cinco imóveis rurais, o Incra atua para promover a desapropriação, o que atenderá com a possibilidade de posse definitiva da terra a 572 famílias. Elas estão na Fazenda Rio Branco II (116), em Ariquemes; Fazenda Castilho e Rio Branco (90); Lote 268 Gleba Burareiro (20); Fazenda Santa Marta (60) e Fazenda Arrobas e Só Cacau (286), localizadas respectivamente em Ariquemes, Alto Alegre dos Parecis, Theobroma, Machadinho do Oeste e Ariquemes.

 

Está na prioridade do Incra ainda a aquisição de duas áreas localizadas nas fazendas Paraíso (Monte Negro) e Majaru (Theobroma), onde estão no total 191 famílias.

 

Nessas três frentes de atuação em que o Incra atua – desapropriação, indenização e aquisição – estão envolvidos recursos da ordem de R$ 25 milhões, calculados em benfeitorias existentes nas propriedades, e R$ 78 milhões e 759 mil são valores da terra nua.

 

Cletho Muniz disse ao governador Confucio Moura que desde o advento do programa Terra Legal, em 2009, as áreas que estão em conflito provenientes de Contratos de Alienação de Terras Públicas (CATPS) firmados pelo Incra na década de 70 em Rondônia estão agora sob competência desse programa. “Esse é o gargalo, é o problema de Rondônia hoje”, disse.

 

Após ouvir a exposição e receber o Plano Rondônia para Superação de Conflitos Agrários elaborado pela instituição de reforma agrária, o governador disse que irá agendar encontro com o presidente Michel Temer para discutir formas de atuação do governo federal em Rondônia na regularização fundiária.

 

“Essa competência está desigual, com o Terra Legal tendo mais de 70% da responsabilidade e o Incra pouco mais de 20%. Temos de solucionar os conflitos, é necessário titular as terras. Imaginem que temos 90 mil propriedades. Com isso tudo regularizado, o estado vira uma potencia, vai dar um salto qualitativo, um impulso na economia. Precisamos documentar as terras. O resto, os produtores fazem”, disse.

 

 

Fonte

Texto: Mara Paraguassu 

Fotos: Bruno Corsino

Secom - Governo de Rondônia

 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em Rondônia


Secretário de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão é empossado pelo governador Daniel Pereira
Ao empossar Pedro Antônio Pimentel como secretário da Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog), o governador Daniel Pereira disse que, por fazer parte de uma equipe que conduziu bem a pasta nos últimos anos, este é o nome id...


Governador Daniel Pereira defende planejamento e união dos setores público e privado durante evento em Pimenta Bueno
Com cerca de 40 mil habitantes e economia que se destaca pela força das indústrias, o município de Pimenta Bueno recebeu, nesta terça-feira (15), no Teatro Municipal, lideranças empresariais da região para planejar o futuro....


Maioria dos pacientes no Centro de Reabilitação de Rondônia são vítimas de acidentes de trânsito
Era para ser um dia de atividade normal quando Júlio Flávio, vigilante, estava indo para o trabalho e um acidente impôs completa mudança de rotina: um veículo de pequeno porte se chocou contra a motocicleta que ele conduzia e com o impacto Júlio so...


Polícia Civil registra 63% de efetividade na elucidação de crimes de homicídio em Rondônia
O estado de Rondônia concluiu o ano de 2017 com balanço positivo em relação à elucidação de crimes de homicídio, com registro de 63% de efetividade, o que inclui resolução e produção de autoria dos crimes, encaminhamento dos processos para o Minist...

 

::: Publicidade :::


:: Publicidade :::

 
 
 
 
EMRONDONIA.COM