Rondônia, - 08:27

 

Você está no caderno - Economia
Demissões no Amazonas estão acima da média naciona
Demissões no Amazonas estão acima da média nacional, diz Caged
A indústria foi o setor que mais demitiu no período, contribuindo para a queda de 0,84% verificada em abril em relação a março.
Publicado Sábado, 23 de Maio de 2015, às 18:06 | Fonte D24am 0
https://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=295470&codDep=20" data-text="Demissões no Amazonas estão acima da média nacional, diz Caged

  
 
 

Em abril, 3,8 trabalhadores foram demitidos no Amazonas.

Manaus - Mais de 3,8 mil trabalhadores perderam seus empregos no Amazonas, em abril e, em um ano, são 12,5 mil vagas perdidas, de acordo com o levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta sexta-feira, pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). A indústria foi o setor que mais demitiu no período, contribuindo para a queda de 0,84% verificada em abril em relação a março. Com esta redução, o Amazonas fica acima da média nacional de demissões, que foi de 0,24% menos empregos gerados no País.
 
Segundo os dados do Caged, em abril de 2015, dos 3.899 postos de trabalho eliminados, 2.308 foram da indústria, 733 demissões do setor de serviços e 571 menos empregos na construção civil.
 
Na série ajustada, que incorpora as informações declaradas fora do prazo, nos quatro primeiros meses de 2015 houve uma retração de 9.141 postos (-1,95%). Ainda na série com ajustes, nos últimos 12 meses verificou-se baixa de 2,65 % no nível de emprego ou menos 12.546 postos de trabalho.
 
De acordo com o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Nelson Azevedo, as empresas estão enfrentando dificuldades e os resultados mostram a queda na atividade.  “Os índices de faturamento e de emprego estão menores quando comparados com o mesmo período do ano passado”, disse.
 
Em abril deste ano, apenas os setores de administração pública e agropecuária apresentaram resultados positivos, ambos não alcançando nem 1% de aumento. Em todo o Estado, no acumulado de janeiro a abril deste ano, as empresas realizaram 63 mil contratações, ao mesmo tempo em que demitiram 72 mil trabalhadores, restando o saldo de menos 9 mil empregos gerados. Dentre os Estados da Região Norte, o Amazonas ficou atrás apenas do Pará, que acumulou saldo negativo de 9,7 mil.
 
Ao apresentar os números em Florianópolis (SC), o ministro de Trabalho e Emprego, Manoel Dias, argumentou que o País vive uma crise política e não econômica, e a campanha para gerar na opinião pública uma percepção de grave crise afeta as empresas, que ficam num compasso de espera. “Quem pretende empreender, desiste e não contrata, o que se reflete no mercado de trabalho”, explicou Dias.
 

Em abril, a indústria puxou o resultado do emprego para baixo, com o fechamento de 53.850 postos de trabalho. Questionado se o setor demonstrava paralisação, respondeu: “Segundo o Caged, sim”. “A indústria já vem desde o ano passado sendo o setor da economia que reduz mais postos de trabalho”, completou, ressaltando que comércio e construção civil também colaboraram para o número ruim do mês passado. 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em Economia


Há robôs em todo lugar, menos nas estatísticas de produtividade
...


Zuckerberg admite que seus próprios dados foram vazados
...


Preços de matérias-primas vão aumentar este ano, diz Banco Mundial
...


FMI diz que trabalha para fortalecer papel do comércio na economia
...

 

::: Publicidade :::


:: Publicidade :::

 
 
 
 
EMRONDONIA.COM