Rondônia, - 05:57

 

Você está no caderno - Notícias da Justiça e do Direito
Procuradora da República é condenada
Procuradora da República é condenada pelo STJ por caluniar juiz em blog
O caso ocorreu em 2009, quando Mazloum era responsável por analisar vazamentos de informações de um inquérito que apurava se a operação satiagraha
Publicado Quinta-Feira, 21 de Maio de 2015, às 09:30 | Fonte Conjur - Felipe Luchete 0
https://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=295430&codDep=35" data-text="Procuradora da República é condenada pelo STJ por caluniar juiz em blog

  
 
 

Procuradora publicou comentário dizendo que decisão do juiz foi ''pró-Dantas''.

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça condenou uma procuradora da República a oito meses de prisão por ter publicado comentários contra um juiz, durante investigações ligadas à operação satiagraha. Para os ministros, a procuradora regional da 3ª Região Janice Agostinho Ascari cometeu o crime de calúnia ao acusar o juiz federal Ali Mazloum de “exorbitar suas funções”, “blindar e apartar os verdadeiros criminosos e denegrir a imagem dos investigadores”.
 
Ela também foi condenada a pagar 30 dias-multa (no valor de um salário mínimo vigente à época do fato) e teve direitos políticos suspensos. A pena de prisão foi substituída por restritiva de direitos, com prestação de serviços à comunidade. Por oito votos a cinco, a corte entendeu que houve dolo direto da procuradora no comentário, com intenção consciente de denegrir e atacar a figura do juiz.
 
O caso ocorreu em 2009, quando Mazloum era responsável por analisar vazamentos de informações de um inquérito que apurava se a operação satiagraha, comandada pelo então delegado da Polícia Federal Protógenes Queirós contra o banqueiro Daniel Dantas, foi arquitetada por iniciativa de particulares. O juiz determinou que fossem enviadas cópias dos autos a pessoas citadas, como o empresário Luiz Roberto Demarco, ex-sócio de Dantas.
 
Procuradora publicou comentário dizendo que decisão do juiz foi "pró-Dantas".
Em seu blog, Luis Nassif publicou texto sobre o tema, e a procuradora usou o espaço de comentários para fazer críticas ao despacho. Ela escreveu que “o juiz, exorbitando de suas funções, abre uma linha paralela de investigação pró-Dantas, sob o argumento de 'interesses comerciais’”.
 
“Curioso observar que mesmo Demarco não sendo suspeito ou investigado, o juiz franqueou, a ele e a 6 advogados, acesso a todos os dados do processo, incluindo os dados das ligações telefônicas dos policiais investigados. No Código Penal isso está lá no artigo 325: é mais uma violação de sigilo perpetrada pelo juiz no mesmo processo”, declarou Janice, em outro trecho.
 
Em queixa-crime, Mazloum disse que que a procuradora ofendeu sua dignidade de magistrado e sua honra de cidadão. Ele afirmou ter sido caluniado com as acusações de abuso de poder, prevaricação e violação de sigilo funcional.
 
Declaração inaceitável
 
Para o relator do caso, ministro Og Fernandes, não há como considerar essas palavras como simples comentário, como sustentou a defesa. “O ato de atribuir o comentário de um crime a alguém tem de estar marcado pela seriedade, com aparelhamento probatório, sob pena de incorrer em dolo eventual. É inaceitável que alguém alegue estar de boa-fé quando se abstém de formular contra outrem uma grave acusação”, afirmou.
 
Mazloum também alegou ter ocorrido difamação e injúria. Mas os ministros absolveram a ré do primeiro crime, por atipicidade, e consideraram extinta a punibilidade por injúria.
 
Em 2012, o comentário já havia criado um revés para Janice: ela foi condenada na esfera cível a indenizar o juiz em R$ 50 mil por danos morais. O Tribunal de Justiça de São Paulo negou pedido dela e impediu que fosse apresentado Recurso Especial ao STJ. A procuradora chegou a apresentar representação criminal contra o mesmo juiz, mas a solicitação foi negada no ano passado pelo Órgão Especial do Tribunal Regional Federal da 3ª Região.
 

APn 613 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em Notícias da Justiça e do Direito


Mais de R$ 10,6 milhões já foram conciliados na 4ª Semana Nacional da Conciliação Trabalhista em RO e AC
Sob a coordenação do juiz do Trabalho, Vicente Angelo Silveira Rego, o Cejusc acreano realizou até terça-feira (22), 68 audiências, homologando 22 acordos...


MPF recomenda que Sedam notifique imóveis rurais que estão cadastrados em áreas protegidas
São 699 propriedades cadastradas no Sicar que estão dentro da terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau e do Parque Nacional dos Pacaás Novos, em Rondônia...


MPF/RO quer mudança nos rótulos dos azeites de oliva comercializados no Brasil
Ministério da Agricultura constatou que a maioria dos produtos comercializados como azeite de oliva contém óleo de soja e são 'óleos mistos ou compostos'...


Juiz Osmar Barneze é o novo desembargador do TRT-RO/AC
Osmar João Barneze, juiz do Trabalho Titular da 1ª Vara do Trabalho de Ji-Paraná (RO), assume a vaga decorrente da aposentadoria do desembargador Vulmar de Araújo Coêlho Junior. ...

 

::: Publicidade :::


:: Publicidade :::

 
 
 
 
EMRONDONIA.COM