Rondônia, - 02:06

 

Você está no caderno - Economia
Terceirização
CNTA Afins reafirma rejeição à Terceirização em nova audiência pública no Senado Federal
A Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins (CNTA Afins) participou nesta quinta (14/5) de audiência pública
Publicado Quinta-Feira, 14 de Maio de 2015, às 19:33 | Fonte Assessoria 0
https://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=295330&codDep=20" data-text="CNTA Afins reafirma rejeição à Terceirização em nova audiência pública no Senado Federal

  
 
 

A Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins (CNTA Afins) participou nesta quinta (14/5) de audiência pública sobre Terceirização e Trabalho Escravo no Senado Federal. Na ocasião, a entidade, que representa 1,6 milhão de trabalhadores no País, reafirmou o posicionamento da CNTA Afins contra o Projeto de Lei 4.330, que trata da Terceirização.
 
Em pronunciamento em conjunto com o Fórum Sindical dos Trabalhadores (FST), o presidente da CNTA Afins, Artur Bueno de Camargo, disse que após a aprovação do projeto na Câmara é oportuno destacar a falta de compromisso dos parlamentares com os interesses da população que, em sua maioria, é contra a Terceirização. Bueno também falou da importância da mobilização do movimento sindical para conscientizar trabalhadores e cidadãos em geral quanto aos parlamentares que votaram pela aprovação do PL 4.330.
 
“Ora, se 90% da população está contra esse projeto, esses parlamentares que votaram a favor estão na contramão do interesse da sociedade brasileira e  isso nós temos o dever, enquanto representantes da classe trabalhadora, de estar denunciando. Esses parlamentares não estão buscando a sua independência e sim, se curvando diante da pressão econômica do nosso País. Portanto, companheiros e companheiras, quero convidar a todos para que, juntos, em seus Estados, região, municípios, possamos levar ao conhecimento da população quem são esses parlamentares que votaram a favor da terceirização, inclusive, nas atividades meio e fim. E todos os trabalhadores com certeza serão terceirizados se não revertermos esse projeto.”, disse.
 
Artur Bueno de Camargo também ponderou a necessidade de regulamentação do trabalho terceirizado já existente, mas destacou a importância da continuidade da responsabilidade social por parte das empresas. No dia 13 de abril, uma audiência pública sobre o mesmo tema foi realizada no Senado Federal e também contou com a participação da CNTA Afins.
 
“Precisamos regulamentar a terceirização que já está aí e que já vem injustiçando e escravizando os trabalhadores, mas jamais devemos admitir e permitir que se terceirize todos os trabalhadores das empresas. Portanto, não podemos permitir que aquela empresa que fabrica o seu produto e tem o seu lucro, deixe de ter a sua responsabilidade social. É com esta bandeira que temos de caminhar juntos.”, concluiu o presidente da CNTA Afins.
 

Participaram da audiência pública no Senado Federal diversas entidades sindicais, centrais sindicais, representantes do governo e associações de classe, como a Ordem dos Advogados do Brasil, o Ministério do Trabalho e Emprego, entre outros. 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em Economia


Em Ji-Paraná um fim de semana de inovações para o agronegócio
Primeiro evento de startups para o agronegócio de Rondônia...


FMI diz que trabalha para fortalecer papel do comércio na economia
...


Servidores públicos podem ficar sem reajuste em 2019, diz Guardia
...


Votação da reoneração depende de trato entre governo e Câmara, diz relator
...

 

::: Publicidade :::


:: Publicidade :::

 
 
 
 
EMRONDONIA.COM