Rondônia, - 15:05
Últimas Política Amazônia Ciência e Saúde Agronegócios Capital Interior
Tecnologia Religião Artigos Fotojornalismo Nacional Anuncie Fale Conosco
   

 

Você está no caderno - POLÍTICA
política
Cunha ironiza Dilma: ‘PT só ganha (votação) quando temos pena’, diz Cunha em jantar do PMDB
Relato de discurso feito para bancada peemedebista foi publicado pelo jornal O Globo. Segundo a reportagem, presidente da Câmara destacou ‘protagonismo’ de seu partido e ironizou petistas
Publicado Quarta-Feira, 6 de Maio de 2015, às 07:48 | Fonte Congresso em Foco 0
http://www.ariquemesonline.com.br/noticia.asp?cod=295147&codDep=19" data-text="Cunha ironiza Dilma: ‘PT só ganha (votação) quando temos pena’, diz Cunha em jantar do PMDB

  
 
 

''Impressionante. O PT não ganha uma votação. Só quando a gente fica com pena na última hora”

Em jantar que reuniu quase 50 deputados da bancada do PMDB, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), destacou o protagonismo de seu partido no Congresso e ironizou o PT. Segundo o jornal O Globo, Cunha disse aos colegas que “todo mundo” está contra a legenda da presidenta Dilma e que os petistas só vencem as votações na Câmara quando eles, os peemedebistas, têm pena.
“Muito bom ver essa bancada unida. É um bom momento para todos nós. Não ter dependido do PT e da oposição (para ganhar a eleição de presidente da Casa) permitiu ao PMDB esse protagonismo político. E nos deu a liberdade para fazer o que estamos fazendo. É só olhar. É impressionante. Onde o PT vai, está todo mundo contra. No plenário… Impressionante. O PT não ganha uma votação. Só quando a gente fica com pena na última hora”, afirmou o deputado, de acordo com relato do repórter Evandro Éboli.
 
Do jantar, realizado no apartamento do deputado Newton Cardoso Júnior (PMDB-MG), filho do ex-governador mineiro Newton Cardoso, participaram dois ministros de Dilma: o ex-presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves, do Turismo, e o deputado licenciado Eliseu Padilha, titular da Secretaria de Aviação Civil.
 

Desde sua eleição para o comando da Câmara, em fevereiro, Eduardo Cunha impôs uma série de derrotas ao Planalto, a mais recente delas foi no projeto de regulamentação da terceirização. Toda a bancada petista votou contra a proposta, que passou pela Câmara e agora está em discussão no Senado. 








Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Veja também em POLÍTICA


Plenário pode votar proposta de reforma política na terça-feira
...


Ministro Barroso, do STF, volta a defender redução do foro privilegiado
...


Áudio sobre a Globo é falso: diretor não se demitiu e voz não é dele
...


Marcelo Miranda depõe a ministro do STJ sobre obras de R$ 850 mi e é liberado
...

 

::: Publicidade :::



:: Publicidade :::

 
350x90
 
 
  EMRONDONIA.COM
FALE CONOSCO  |  ANUNCIE  |  EQUIPE  |  MIDIA KIT   |  POLÍTICA DE PRIVACIDADE