Promotor de justiça do AM que levou três tiros de pistola sobrevive
Paulo Stélio Guimarães levou três tiros de pistola calibre 380 quando voltava para casa, na Zona Oeste, no início da tarde desta sexta-feira (15)
Publicado Sábado, 16 de Maio de 2015, às 17:18 | A CRÍTICA - JULIANA GERALDO

 

Promotor, por duas vezes, foi candidato na lista tríplice a procurador geral de Justiça do Amazonas (Antônio Menezes)

Promotor, por duas vezes, foi candidato na lista tríplice a procurador geral de Justiça do Amazonas (Antônio Menezes)

O promotor de Justiça Paulo Stélio Sabbá Guimarães, que  foi baleado na tarde da última sexta-feira (15) em sua residência, recebeu alta na manhã deste sábado (16). Ele estava internado no Pronto-Socorro 28 de Agosto, na zona Centro-Sul de Manaus. A informação foi passada pelo procurador-geral de Justiça, Fábio Monteiro.
 
Segundo Monteiro, o promotor fez os exames necessários e foi liberado pela equipe médica. “Não podemos dar mais detalhes em respeito à família, mas ele passa bem. Quanto à sua segurança pessoal, uma escolta policial já foi designada para a proteção dele e de seus familiares”, ressaltou.
 
O procurador-geral explicou que o Ministério Público está trabalhando em conjunto com a Secretaria de Segurança Pública para buscar desvendar os motivos do crime.
 
“Não podemos descartar nenhuma hipótese para esse ato. É possível que tenha sido uma represália decorrente de alguma atividade realizada por ele, uma vez que o cargo de promotor do Ministério Público é uma posição de risco. Por outro lado, pode ter sido um crime contra o patrimônio. Teremos que aguardar o desenrolar das apurações policiais”, argumentou.
 
Crime 
 
 O promotor Paulo Stélio Guimarães foi baleado por volta das 13h30 de sexta-feira,15, quando  estacionava na garagem de sua casa, no Condomínio Itaporanga 2, bairro Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus.
 
Três tiros de pistola calibre 380 foram disparados contra o promotor. Os disparos foram feitos por dois homens ainda não identificados, que utilizavam uma motocicleta também de modelo e placas, ainda, não identificadas. Um dos tiros atingiu Paulo Stélio na região da clavícula esquerda. 
 

 As suspeitas não oficiais são de tentativa de execução. Paulo Stélio atua na 63ª Promotoria de Ordem Urbanística do Ministério Público do Amazonas (MP-AM). 

 

Vídeo: