CNTA Afins reafirma rejeição à Terceirização em nova audiência pública no Senado Federal
A Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins (CNTA Afins) participou nesta quinta (14/5) de audiência pública
Publicado Quinta-Feira, 14 de Maio de 2015, às 19:33 | Assessoria

 
A Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins (CNTA Afins) participou nesta quinta (14/5) de audiência pública sobre Terceirização e Trabalho Escravo no Senado Federal. Na ocasião, a entidade, que representa 1,6 milhão de trabalhadores no País, reafirmou o posicionamento da CNTA Afins contra o Projeto de Lei 4.330, que trata da Terceirização.
 
Em pronunciamento em conjunto com o Fórum Sindical dos Trabalhadores (FST), o presidente da CNTA Afins, Artur Bueno de Camargo, disse que após a aprovação do projeto na Câmara é oportuno destacar a falta de compromisso dos parlamentares com os interesses da população que, em sua maioria, é contra a Terceirização. Bueno também falou da importância da mobilização do movimento sindical para conscientizar trabalhadores e cidadãos em geral quanto aos parlamentares que votaram pela aprovação do PL 4.330.
 
“Ora, se 90% da população está contra esse projeto, esses parlamentares que votaram a favor estão na contramão do interesse da sociedade brasileira e  isso nós temos o dever, enquanto representantes da classe trabalhadora, de estar denunciando. Esses parlamentares não estão buscando a sua independência e sim, se curvando diante da pressão econômica do nosso País. Portanto, companheiros e companheiras, quero convidar a todos para que, juntos, em seus Estados, região, municípios, possamos levar ao conhecimento da população quem são esses parlamentares que votaram a favor da terceirização, inclusive, nas atividades meio e fim. E todos os trabalhadores com certeza serão terceirizados se não revertermos esse projeto.”, disse.
 
Artur Bueno de Camargo também ponderou a necessidade de regulamentação do trabalho terceirizado já existente, mas destacou a importância da continuidade da responsabilidade social por parte das empresas. No dia 13 de abril, uma audiência pública sobre o mesmo tema foi realizada no Senado Federal e também contou com a participação da CNTA Afins.
 
“Precisamos regulamentar a terceirização que já está aí e que já vem injustiçando e escravizando os trabalhadores, mas jamais devemos admitir e permitir que se terceirize todos os trabalhadores das empresas. Portanto, não podemos permitir que aquela empresa que fabrica o seu produto e tem o seu lucro, deixe de ter a sua responsabilidade social. É com esta bandeira que temos de caminhar juntos.”, concluiu o presidente da CNTA Afins.
 

Participaram da audiência pública no Senado Federal diversas entidades sindicais, centrais sindicais, representantes do governo e associações de classe, como a Ordem dos Advogados do Brasil, o Ministério do Trabalho e Emprego, entre outros.