Expedito prefere o ataque e Confúcio o acusa de requentar denúncias e de fazer um “sarapatel” de respostas
Nervoso, o evento serviu para mostrar o tom agressivo do candidato tucano, na reta final da campanha.Confúcio se negou ao confronto, alegando respeito aos eleitores...
Publicado Sexta-Feira, 24 de Outubro de 2014, às 19:01 | da Redação

 

Porto Velho, Rondônia – No último encontro entre os candidatos ao Governo, Expedito Junior (PSDB) deixou as propostas de lado e partiu logo para o ataque ao governador e candidato à reeleição Confúcio Moura (PMDB), no debate promovido pela TV Rondônia, com apenas 40 minutos de duração, em três blocos, na noite desta quinta-feira (23).
 
Apesar do modelo “travado” de debate, o evento serviu para mostrar o tom agressivo do candidato tucano, na reta final da campanha ao Governo.
 
Quem começou a perguntar foi Expedito Junior (PSDB). Visivelmente nervoso, ele que quis saber sobre a delação premiada do ex-secretário adjunto de Saúde, José Batista, que denunciou a suposta existência de um esquema de desvios de recursos no Governo.
 
“Candidato, o senhor fez essas denúncias, divulgou em panfletos. Entramos na justiça e isso foi retirado. Isso não existe, é uma notícia requentada, de 2011. Estou aqui de cabeça erguida. Nada me atingiu. Não sou o responsável por pessoas que estão próximas a gente, que fazem besteira. A justiça acompanha esse caso e o que eu mais tenho feito é colaborar com a justiça. Isso tem um papel depurador e por isso somos o Estado da região Norte com o melhor desempenho no ranking da transparência”, disse Confúcio.
 
“O TRE liberou a divulgação das matérias e o Ministério Público fez denúncias contra o senhor sim, inclusive de corrupção passiva. Nesta semana, saiu a prisão de um ex-secretário de seu Governo e tem muito mais coisa para vir por aí”, disse o tucano na réplica.
 
“O candidato apelou para o jogo sujo. Não tenho nada para falar do assunto. Fui pego de surpresa, como numa luta de boxe. Levei um direto, logo no começo. Mas, vou me ater nesse debate às minhas propostas. Se houver outras perguntas desse tipo, agressivas, provocativas, não responderei. Mostrarei propostas. Não vou fazer baixarias e apelações”, pontuou o candidato Confúcio na tréplica.
 
Em seguida, foi a vez de Confúcio perguntar sobre a política de sequestro de carbono, nas reservas. “Primeiro, quero falar ainda sobre o bloco anterior. O senhor não responde, pois não tem resposta. Sobre a pergunta, Guajará-Mirim tem mais de 90% de sua área preservada, mas precisa ser recompensado por isso”, disse o tucano.
 
Confúcio disse que, em parceria com os índios Suruís, o Governo conseguiu que fosse realidade o programa de sequestro de carbono e a meta é ampliar para outras reservas indígenas e áreas.
 
Na tréplica, Expedito disse que não é mais preciso desmatar e para isso, vai ampliar a distribuição de calcário, para aumentar a produção e diminuir as áreas degradadas.
 
Expedito argumentou que o Governo do peemedebista “é lento e enrolado. A transposição não sai, as obras estão paralisadas. Essa é a experiência que tanto fala em seu Governo?”.
 
“Tudo que ele pergunta agora, pergunta desde o primeiro debate. É a mesma cantilena de sempre. Como não fiz nada? Ampliamos a rede de saúde, mais estradas, mais trabalho, mais empenho, melhorias na educação. Sobre a água tratada, se houve problemas, foi do governo anterior. Eu estou arrumando a papelada, para retomar as obras”, destacou Confúcio.
 
Na réplica, Expedito disse que “na verdade, a minha pergunta foi no sentido de dizer que seu Governo é lento, quase parando. O Hospital Regional de Cacoal era para fazer 900 cirurgias por mês, hoje faz no máximo 300”.
 
Na tréplica, o governador disse que “em 10 meses, entregamos as obras do Hospital do Câncer de Barretos. Concluímos as obras da escola Murilo Braga em tempo recorde”.
 
Na pergunta seguinte, Confúcio reforçou que tem feito campanha baseado em propostas e quis saber quais as propostas do adversário para o sistema prisional.
 
“Fui atacado duramente por sua campanha desde o começo. Você é dissimulado. Vocês fazem uma campanha suja, baixa. Comandado por você”, desabafou o tucano, ao invés de responder.
 
Na réplica, Confúcio disse que “estamos analisando um novo modelo de gestão para os presídios, trazido do Paraná, que vai baratear em até 70% os gastos com os presos”.
 
Na tréplica, Expedito declarou que “eu estou em contato com a categoria dos agentes penitenciários e quero fazer presídios indústrias, para que o apenado produza, trabalhe, gere renda e sustente a sua família”.
 
Na abertura do segundo bloco, o tema sorteado foi habitação, cabendo ao governador fazer a pergunta sobre a parceria entre o Estado e a União, para a construção de moradia popular.
 
“Tá aí um programa federal que funciona. Esse projeto precisa ser ampliado e quero destinar moradias para os servidores públicos. Sendo governador, vou assegurar recursos para a contrapartida na construção de casas populares”, respondeu o tucano.
 
Na réplica, Confúcio disse que “contra fatos não há argumentos. As pessoas estão satisfeitas com a casa boa que receberam. Fazia 25 anos que não era construída nenhuma casa pelo Governo e eu tenho esse grande programa como realidade”.
 
Na tréplica, Expedito disse que “não estão satisfeitas com as moradias as pessoas desabrigadas pela cheia do Madeira, que estão nas barracas de lona, sob forte calor, lá no Parque dos Tanques. Seu Governo é lento, pesado e isso é uma prova”.
 
Em seguida, Expedito perguntou quais os sete pontos, dos 20, do Plano Nacional de Educação. “Autonomia de recursos, recuperação da série/idade, gestão democrática e outros avanços, como a educação integral e ampliação do tempo do aluno na escola e a prova disso é que somos o sétimo melhor no país no ensino médio e o primeiro na Amazônia”, respondeu o candidato á reeleição.
 
Na réplica, Expedito disse que “a meta, até 2016, eram 50% das escolas em tempo integral. Hoje são apenas 19 escolas. Ontem, tive um encontro com o Sintero e assumi o compromisso de implantar o piso nacional. Já você, nomeou até gerente de hotel como secretário de Educação”.
 
Na tréplica, Confúcio arrematou: “não preciso sair assinando documentos. Eu tenho credibilidade e assumo minhas responsabilidades”.
 
Na pergunta seguinte, Confúcio quis saber se o adversário daria prioridade para a construção do hospital infantil. “Você ainda é governador, trate com respeito, e não com desdém, esse debate que é tão importante. Eu vou investir sim na saúde infantil e nas demais áreas”.
 
“O candidato faz um sarapatel de resposta, mistura tudo e não responde. Eu perguntei sobre o atendimento no hospital infantil. Olha como era e como é o Hospital Cosme e Damião. No ano que vem, vou ampliar, nos fundos, em três andares, para que possa ter 200 leitos”, destacou Confúcio.
 
Na tréplica, Expedito disse que “seu Governo nem paga os convênios do hospital Santa Marcelina, que está ameaçando fechar as portas. Isso mostra o descaso com que trata a saúde”.
 
Em seguida, Expedito perguntou sobre a cultura, querendo saber sobre a falta de investimentos na cultura. “Antes, quero dizer que meu Governo destinou mais de R$ 30 milhões, em pouco mais de três anos. Sobre a cultura, o Duelo da Fronteira, recebeu muitos recursos, nos dois primeiros anos. O Flor do Maracujá recebe sim apoio”, destacou.
 
Na réplica, Expedito disse antes que “quem quiser comprovar, basta ligar lá nas Irmãs Marcelinas e confirmar. Sobre o Duelo da Fronteira, você culpa os bois, que não teriam feito as prestações de contas. Isso é inaceitável”.
 
Na tréplica, Confúcio disse que “é preciso saber que não se repassa recursos sem a prestação de contas de convênio anterior. Por outro lado, ano eleitoral impede que se faça repasse para eventos. Sobre o Santa Marcelina, é preciso ouvir o outro lado, o da Secretaria de Saúde”.
 
Nas considerações finais, Expedito agradeceu a Deus e à população, por ter lhe dado o direito de disputar o segundo turno. “Domingo, é o dia da vitória do povo de Rondônia. Quem me acompanhou ao longo de toda a campanha, sabe que tivemos dificuldades, mas muita gente vestiu a camisa, movida pelo sentimento de mudança. Não tenho medo da mudança. Para a capital, vou fazer as parcerias necessárias e ter um olhar especial. Para todas as cidades do interior, também irei trabalhar com empenho. Peço que falem aos vizinhos, amigos e parentes, para que somem conosco, votando 45”.
 
Já Confúcio Moura começou as considerações finais lembrando que venceu o primeiro turno. “Estamos no último debate. Agradeço a quem percebeu as diferenças entre propostas e ataques. Rondônia é um Estado abençoado, diferente e a terra das oportunidades. Quero agradecer aos prefeitos, que em sua esmagadora maioria, estão me apoiando. Quero agradecer ao voluntariado que nos apoia. E as pesquisas mostram, apontam a nossa vitória no domingo. Sou um homem de paz, pacífico por natureza. Sempre engoli desaforo pra caramba nesse Governo e superei. Quero conclamar a todos os homens e mulheres de bem para votar no 15”.
 
Crédito da foto: Karla Cabral/G1
 

Fonte: Rondonoticias