Dilma chora ao comentar tragédia e diz que o povo brasileiro precisa dela
Com a voz embargada, a presidente Dilma Rousseff declarou que não participaria mais da reunião da cúpula dos países da América Latina com a União Europeia, que acontece em Santiago, no Chile, e viajará para Santa Maria, no RS
Publicado Domingo, 27 de Janeiro de 2013, às 12:27 | Folha de SP

 

Reprodução Internet

a presidente Dilma Rousseff

a presidente Dilma Rousseff

Com a voz embargada, a presidente Dilma Rousseff declarou que não participaria mais da reunião da cúpula dos países da América Latina com a União Europeia, que acontece em Santiago, no Chile, e viajará para Santa Maria, no RS, onde um incêndio em uma boate deixou 245 mortos e 48 feridos. Ela chorou ao comentar a tragédia e disse que o povo brasileiro precisa dela.

"Gostaria de dizer a população de nosso país e de Santa Maria (RS) que estamos todos juntos nesse momento". Dilma disse ainda que todos os ministros estão mobilizados para prestar toda ajuda possível às vítimas e aos familiares envolvidos na tragédia. Durante a entrevista, Dilma começou a chorar e terminou o depoimento.

O anúncio foi realizado do hotel The Ritz-Carlton, onde a presidente está hospedada.

O governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, disse em sua conta de Twitter que irá para Santa Maria até o final da manhã deste domingo para acompanhar o trabalho do Corpo de Bombeiros na retirada e na identificação dos corpos. "Domingo triste! Estamos tomando as medidas cabíveis e possíveis. Estarei em Santa Maria no final da manhã".

O número de mortos no incêndio pode ser ainda maior do que o divulgado até o momento, afirmou o tenente-coronel Moisés da Silva Fuchs afirmou na manhã deste domingo.

Segundo Fuchs, o transporte dos corpos é realizado por um caminhão da Brigada Militar, devido ao elevado número de de mortos. Eles são levados ao Centro Desportivo Municipal (Farrezão), porque o IML (Instituto Médico Legal) não tem capacidade para abrigá-los.

"O número de mortos pode chegar a 150, já que a equipe do Corpo de Bombeiros ainda não chegou até o fundo da boate", disse Fuchs.

O balanço com os números e nomes das vítimas ainda não foi divulgado porque os bombeiros ainda não terminaram o trabalho de resgate. Além disso, os feridos estão distribuídos em diferentes hospitais da cidade.

Ao menos cem pessoas morreram e 200 pessoas ficaram feridas na madrugada deste domingo na boate Kiss, segundo informações preliminares do Exército.

INCÊNDIO

Segundo o coordenador da Defesa Civil, Adelar Vargas, o fogo teria começado na espuma de isolamento acústico, no teto. Um dos integrantes da banda, que se apresentava no local, teria acendido um sinalizador, que atingiu o teto e o fogo se espalhou rapidamente, de acordo com Vargas.

A auxiliar de escritório, Michele Pereira, 34, que estava em frente ao palco no momento em que começou o incêndio, confirma que um dos integrantes da banda acendeu um sinalizador no palco.

"A banda que estava no palco começou a usar sinalizadores e, de repente, pararam o show e apontaram [o sinalizador] para cima. Aí o teto começou a pegar fogo, estava bem fraquinho, mas em questão de segundos começou a se alastrar", disse Pereira.

No local, havia apenas uma saída de emergência. Os bombeiros tiveram que abrir um buraco na parede da boate para facilitar o acesso e a retirada das pessoas do local.