Relatório aponta recuperação total da Caerd
Publicado Segunda-Feira, 30 de Julho de 2012, às 16:55 | DECOM-RO

 

Relatório aponta recuperação total da Caerd

Um relatório produzido pela assessoria técnica da Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia (Caerd) entregue ao chefe da Casa Civil, Juscelino Moraes do Amaral, aponta a recuperação financeira da empresa com o modelo de gestão adotado pela nova administração. A preocupação é com o índice de inadimplência que chega a R$ 119.751,697,96 aliado a grande quantidade de ligações inativas, fora do faturamento, por falta de fiscalização efetiva da Caerd, que a gora trabalha com metas estabelecidas pelo Plano de Recuperação imposto pelo governo do Estado.

Nos meses de janeiro a abril deste ano, a companhia incrementou entre 20% a 40% de suas receitas em comparação com o mesmo período de 2011. O crescimento do faturamento é assegurado pela economia nas operações técnicas e a melhoria no atendimento ao usuário. A diretoria da Caerd pretende implementar mais ações no decorrer do ano para economizar ainda mais. Uma das medidas é a abertura de concurso público, atendendo ao Ministério Público do Trabalho, para evitar a contratação de serviços terceirizados.

Nesses seis meses de trabalho, a nova diretoria da Caerd já obteve êxitos como a redução da conta de energia com pagamento em dia, redução nos custos da telefonia móvel de R$ 300 mil mensais para R$ 80 mil em todo o Estado de Rondônia, fechamento do acordo coletivo de 2011 no dia 28 de dezembro, eliminando um passivo de mais de R$ 1 milhão, redução das tarifas dos correios na entrega de contas, fechamento de concessões com Ouro Preto, Jaru e Candeias, redução dos valores de suprimento de fundos e regularização de processos para aquisição de materiais e equipamentos, bem como adesão ao Gespública, que busca a eficiência na gestão pública.

A Caerd trabalha agora na repactuação da dívida trabalhista, periciada pela Procuradoria Geral do Estado, regularização do patrimônio, fechamento da concessão com Espigão do Oeste, Cacaulandia, Santa Luzia, Castanheiras e Novo Horizonte.

A viabilidade econômica da companhia estará assegurada quando o governo, principal acionista, discutir a dívida da empresa com a Eletrobrás Distribuição de Energia, a antiga Ceron.

Enquanto a Caerd implementa com sucesso o modelo de recuperação financeira, os estudos de modelagem para investimentos privados na rede de distribuição de água potável e o esgotamento sanitário, filão que chamou atenção de empresas do Brasil inteiro interessadas nas chamadas PPPs (Parcerias Público Privadas), continuam em pleno andamento.

O Estado recebeu para saneamento, verbas federais na ordem de R$ 740.162.012,00 oriundo do PAC I; outros R$ 187.156.049,51 do PAC II; e R$ 49.947.784,00 do PAC Funasa, totalizando cerca de R$ 1 bilhão.

Pequenas cidades

Pequenos municípios com vocação econômica voltada para pecuária e agricultura também não ficarão de fora dos investimentos da Caerd em parceria com o governo de Rondônia e a União para levar água tratada e esgoto para o interior. Theobroma possui pouco mais de 10 mil habitantes mas já estão certos investimentos de R$ 720.248,00 do PAC/Funasa. Machadinho do Oeste, localizada na região da Produção, com 31 mil habitantes também assegurou outros R$ 1.113.696,00 no PAC/Funasa. E Rio Crespo com três mil habitantes tem R$ 360 mil alocados no PAC/Funasa.