MT concentra 60% dos desmates na Amazônia Legal em março, diz Imazon
Publicado Segunda-Feira, 30 de Julho de 2012, às 09:47 | G1

 

MT concentra 60% dos desmates na Amazônia Legal em março, diz Imazon

Conforme o Instituto, no período 32 km² foram desmatados.
Juntos, estados desmataram 15% a mais em relação a março de 2011.

Leandro J. Nascimento Do G1 MT


Desmatamento Mato Grosso (Foto: Assessoria/Ibama)Mato Grosso concentrou maioria dos desmates na Amazônia Legal em março. No acumulado de agosto a março houve redução no total desmastado, de acordo com Imazon (Foto: Assessoria/Ibama)

Cerca de 60% dos desmates realizados no mês de março na Amazônia Legal ocorreram em Mato Grosso. O estado ocupou, por mais um mês consecutivo, a posição de número um no ranking que avalia as unidades federadas que mais contribuíram para a derrubada da floresta. No período foram 32 km² desmatados ante um total de 53 km² da Amazônia.

Os números são do Imazon e apontam que juntos os estados desmataram 15% a mais em relação a março de 2011, quando o desmatamento alcançou 46 quilômetros quadrados. Em termos percentuais, o Pará concentrou o segundo maior volume de desmates com 25% (13 km²) e Rondônia outros 9% (5 km²). Amazonas (11 km²), Roraima (1 km²) e Acre ( 1 km²) detiveram os 6% restantes.

De acordo com o Instituto, em março de 2012 a maioria dos desmatamentos (94%) ocorreu em áreas privadas ou sob diversos estágios de posse. O restante esteve distribuído entre Unidades de Conservação (3%), Assentamentos de Reforma Agrária (2%) e Terras Indígenas (1%) localizadas na Amazônia Legal brasileira.

Os desmates ocorridos em Assentamentos da Reforma Agrária em março, totalizando 1 km², teve como mais afetados aqueles localizados em Mato Grosso, como os localizados no município de Tabaporã, a 643 km de Cuiabá e Paranaíta, a 849 km da capital.

Ainda em março, os municípios mais críticos no desmatamento foram União do Sul a 689 km de Cuiabá, Jacareacanga (Pará) e Vilhena (Rondônia).

O secretário estadual de Meio Ambiente, Vicente Falcão, destacou que na unidade federada as ações de repressão aos desmates vêm ocorrendo. No entanto, a prática ainda persiste em locais considerados ´pontos isolados´. Somente neste ano, R$ 29 milhões em multas por desmate foram aplicados pelo órgão ambiental entre janeiro a março. “O trabalho é constante, mas temos pessoas que insistem em ficar à margem da lei. Mas os números nos ajudam a nortear as políticas de combate”, citou o representante, ao G1.

Desmatamento na Amazônia apresenta redução (Foto: Marcello Casal Jr/ABr)Desmatamento na Amazônia recuou em intervalo
maior (Foto: Marcello Casal Jr/ABr)

Intervalo maior
Mas ao avaliar o acumulado entre agosto de 2011 a março de 2012, o desmatamento somou 760 quilômetros quadrados, uma baixa de 22% frente o mesmo período do ano anterior quando foram desmatados 969 km².

De acordo com o Imazon, neste intervalo de oito meses o Pará lidera o ranking com 35% do total desmatado. Mato Grosso aparece na segunda posição com 30%; Rondônia 19% e Amazonas 9%. Juntos, aponta o Instituto, os estados foram responsáveis por 93% do desmatamento ocorrido na Amazônia Legal no período. Os estados do Acre, Roraima e Tocantins somaram 7%.

Recuo
Ao mensurar os desmates realizados em agosto de 2011 a março de 2012 o Imazon concluiu que além da queda geral de 22% na Amazônia Legal, o estado que mais conseguiu reduzir sua taxa de desmatamento foi o Acre (63% a menos). Recuo também de 48% no Amazonas, 42% em Rondônia e 16% em Mato Grosso. Na contramão, houve aumento em 175% em Roraima, 120% no Tocantins e 6% no Pará, indica o Imazon.

Floresta degradada
Ainda de acordo com o Imazon, as florestas degradadas na Amazônia Legal somaram 40 quilômetros quadrados em março de 2012. Representa uma redução de 87% sobre março de 2011 quando foram 298 quilômetros. Na distribuição, a maioria ocorreu em Mato Grosso seguido pelo Amazonas (15%), Rondônia (10%) e Pará (7%).