Prefeito renuncia ao mandato alegando falta de recursos no município
Publicado Segunda-Feira, 30 de Julho de 2012, às 09:44 |

 

Luciano Coelho, Especial para estadão.com.br

 

TERESINA – O prefeito do município de Miguel Leão, Bismarck Santos de Arêa Leão (PTB), renunciou ao mandato alegando dificuldades financeiras do município e constantes quedas nas transferências de recursos. O prefeito encaminhou a carta-renúncia à Câmara dos Vereadores em caráter irrevogável. O município de Miguel Leão fica a 88 quilômetros a Sul de Teresina (PI)  e tem o menor eleitorado do Estado. São 1.192 habitantes, desses somente 1.087 são eleitores. Nas eleições de 2008, o prefeito foi eleito com 521 votos, derrotando o professor Joel (PT) que obteve 448 votos.

Leão, que assumiu a prefeitura em 1º de janeiro de 2009, frisa em carta-renúncia enviada ao presidente da Câmara Municipal de Miguel Leão, a falta de verba para a administração do município. “Desde o início da gestão venho enfrentando enorme dificuldade, diante dos escassos recursos do município, frente às graves obrigações transferidas aos municípios brasileiros.”

O prefeito alegou que durante estes anos sofre pressões e isso tem desgastado a sua saúde. “Nos últimos meses tivemos grandes dificuldades inclusive para controlar a pressão arterial, o que poderá acarretar em riscos mais grave à saúde. Vimos refletindo há alguns meses sobre a possibilidade de prosseguir gerindo o município, mesmo sabendo que o estresse vem corroendo a saúde”, relata o documento.

Bismarck de Arêa Leão faz parte da família que fundou a cidade de Miguel Leão. O pai, a mãe e o irmão dele também já foram prefeitos da cidade. Leão justifica sua saída por sofrer de pressão alta e afirma que os efeitos da carga de trabalho diária e as normais pressões sofridas no exercício da função são prejudiciais à sua saúde.

A partir de agora, ele se dedicará às atividades de pecuarista e à cerâmica. Assume em seu lugar o vice-prefeito José Angerry (PMDB). O presidente da Câmara, vereador Miguel de Arêa Leão Netto (PTB), já está providencia a sucessão.