Confúcio Moura quer construir 20 mil casas nos próximos três anos de governo
Publicado Segunda-Feira, 30 de Julho de 2012, às 08:43 | DECOM - GOVERNO DE RONDÔNIA

 

Confúcio Moura assina termo com ministro das Cidades para construção de casas

Confúcio Moura quer construir 20 mil casas nos próximos três anos de governo

.

 

O governador Confúcio Moura participou nesta quinta-feira (15), com o ministro das Cidades, Mário Negromonte, da assinatura do Termo de Adesão ao Programa Minha Casa, Minha Vida 2 do governo federal. Assinaram o documento a Caixa Econômica Federal (CEF), Banco do Brasil, Ministério das Cidades, governo de Rondônia e os municípios de Porto Velho, Ariquemes, Jarú, Ji-Paraná, Cacoal, Rolim de Moura e Vilhena.

Confúcio Moura afirmou que irá trabalhar muito para construir 20 mil casas nos próximos três anos de governo

A solenidade teve início com uma apresentação do especialista em infraestrutura da Secretaria Nacional de Habitação, Rui Pires, sobre as novas diretrizes do programa.  O termo de adesão assinado atende os sete municípios do estado que estão acima de 50 mil habitantes. Para as cidades com população inferior, Rui Pires disse que já estão abertas as inscrições para cadastramento de propostas, até 30 de dezembro de 2011.

Nesse pacote assinado serão mais de oito mil moradias para Rondônia, distribuídas de acordo com a estimativa do déficit habitacional urbano. Para as famílias com renda de até três salários mínimos, considerando os dados da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios – PNAD, do IBGE, referente ao ano de 2008, serão 5.136 casas. 

Para as moradias populares, os valores máximos de aquisição são definidos por região. Em Porto Velho e na região metropolitana são de R$ 55 mil para apartamento e R$ 53 mil para casa. Nos demais municípios são R$ 52 mil, tanto para casa ou apartamento.

O ministro Negromonte disse que o Minha Casa, Minha Vida é a menina dos olhos da presidente Dilma Rousseff. Segundo ele, o programa está sendo copiado por diversos países e, que o sucesso absoluto do programa se dá com o empenho do governo federal, estado e prefeituras. Por isso a parceria é fundamental.

Negromonte frisou que a construção de casas, principalmente para famílias de baixa renda contribui muito para reduzir o déficit habitacional, além de aquecer a mão de obra e o setor de material de construção civil.

Confúcio Moura afirmou que irá trabalhar muito para construir 20 mil casas nos próximos três anos de governo. Só assim reduzirá o déficit habitacional de Rondônia.  O governador explicou que irá apresentar ao ministro das Cidades e à presidente Dilma Rousseff, um levantamento detalhado da situação de Rondônia.  Ele disse que onde estiver miséria, onde estiver extrema pobreza, onde houver necessidade de habitação, urbana, rural ou ribeirinha ele apresentará ao governo federal. “Com certeza, teremos uma ampliação de meta muito maior. Esse é o meu objetivo e é isso que vou fazer”, disse.

Participaram também do evento - os senadores Valdir Raupp e Ivo Cassol; o prefeito de Porto Velho, Roberto Sobrinho; de Vilhena, José Rover, de Ariquemes, Márcio Raposo; de Rolim de Moura, Tião Serraia; de Cacoal, Padre Franco e Jarú, Jean Carlos dos Santos. Da Caixa Econômica Federal, o diretor de habitação, Teotônio Costa Resende; do Banco do Brasil, o diretor de governo, Paulo Ricci, a gerente de negócios imobiliários, Regiane Maria Paes e Antônio Saito, gerente de área plataforma Norte e Centro-Oeste de crédito imobiliário e o gerente executivo do projeto Minha Casa, Minha Vida 2, João Martins Felcare.