Nazif pede retirada de pauta do projeto que prejudica aumento de salários dos servidores públicos
Publicado Segunda-Feira, 30 de Julho de 2012, às 17:36 | ASSESSORIA

 

“Um projeto que visa, sobretudo, o desmonte da máquina administrativa do Estado”. Com essas palavras o Deputado Federal Mauro Nazif (PSB-Rondônia) iniciou seu pronunciamento no Plenário da Câmara dos Deputados nesta quarta-feira, quando entrou com o Requerimento 6675/2010 à Mesa Diretora, para retirada de pauta do PLP 549/09, de autoria do Senado Federal. O projeto assegura um aumento anual de, no máximo 2,5 % para os servidores públicos federais até o ano de 2019, e ainda vinculando esse aumento ao índice anual de inflação.

Mauro Nazif disse que o projeto, que a princípio parece um benefício para os servidores públicos, na verdade representa a estagnação de toda a administração pública, já que tira a perspectiva dos servidores de todo o quadro federal, de reajustes justos e reais e que assegurem a manutenção de suas famílias.

Outro fator que foi considerado por Mauro Nazif como de vital importância para que esse índice ínfimo não seja aprovado, é que os servidores do Estado de Rondônia, aproximadamente 20 mil, beneficiados com a transposição para os quadros da União, já entrariam para os quadros federais prejudicados com essa situação que impedirá reajustes acima de 2,5% em seus salários.

O parlamentar disse que o pedido de retirada do projeto foi uma forma de chamar a atenção dos demais deputados para esse grave quadro que foi montado contra os servidores públicos federais. Nazif disse ainda que vai encaminhar também aos senadores autores do PLP 549, um pedido pessoal para que eles reflitam melhor sobre o projeto e o retirem de pauta, o que facilitaria tudo.

O deputado por Rondônia disse ainda que o Estado brasileiro apresenta um crescimento satisfatório em todos os níveis, porém, tem que haver também a consciência de que esse desenvolvimento deve-se ao trabalho árduo dos servidores federais em todos os níveis da administração pública do País. “esses trabalhadores merecem, além do nosso respeito, incentivo e apoio para continuarem exercendo suas funções com dedicação e orgulho – frisou Nazif”.