Cassol confirma que vai cancelar gratificação a professores caso movimento continue
Publicado Segunda-Feira, 30 de Julho de 2012, às 15:22 | DECOM

 

Durante entrevistas à emissoras de rádio e televisão em Vilhena, na manhã deste sábado (13) o governador Ivo Cassol anunciou que vai retirar a gratificação de até R$ 200,00 aos professores que estão em sala de aula, caso o movimento grevista persista além da próxima terça-feira (16).

Segundo Cassol, o projeto, que já foi protocolado na Assembléia na última sexta-feira (12) para apreciação dos deputados nesta semana, será retirado daquela Casa de Leis sem possibilidade de retorno, pelo menos enquanto ele for governador. “Não é justo alguns poucos se deixarem levar pelo sindicato, ainda mais que a grande maioria dos professores, alunos e pais não querem fazer greve. Está mais do que provado que este é um movimento político, e pessoas de bem estão sendo envolvidas por sindicalistas irresponsáveis”, disse Cassol durante a entrevista na Rádio Meridional.

De acordo com o Projeto, os professores que estão em sala de aula terão, além do aumento de 4,5% previsto a todos os servidores públicos estaduais concursados, uma gratificação de até R$ 200,00 a ser incluída automaticamente no salário já a partir de abril. “Em alguns casos, com o aumento concedido mais o abono o professor terá um aumento real de quase 20%. Nem o Governo Federal deu um aumento desses, e agora vem o sindicato promover greve? Isso é um desrespeito com a população”, afirmou o governador. 

Demonstrativo do valor da gratificação  

De acordo com o Projeto de Lei encaminhado à ALE, o professor de níveis 1, 2 e 3 que trabalha 40 horas semanais com uma turma do 3º ao 5º ano do Ensino Fundamental ou no mínimo 26 aulas por semana terá direito a gratificação integral de R$ 200,00. Da mesma forma, professor nível 1 que trabalha 20 horas por semana, com uma turma do 3º ao 5º ano do Ensino Fundamental, receberá R$ 200,00. O docente que trabalhar no mínimo de duas horas por dia de trabalho em turma do 3º ao 5º ano do Ensino Fundamental terá direito a R$ 100,00.

O professor nível 1 e 2, que trabalha com uma turma do 3º ao 5º ano do Ensino Fundamental receberá R$ 200,00 e aquele que der no mínimo 13 aulas por semana, R$ 100,00.

O docente que trabalhar 25 horas semanais com uma turma do 3º ao 5º ano do Ensino Fundamental, por exemplo, receberá R$ 200,00. O que der no mínimo 18 aulas por semana, R$ 125,00. 

Prazo para fim do movimento vai até a próxima terça-feira, dia 16 

O governador deu prazo até a próxima terça-feira, dia 16, para que os professores voltem às salas de aula e encerrem o movimento. Após este prazo não haverá qualquer negociação e a gratificação será retirada do projeto que já foi protocolado pelo vice-governador João Cahulla na Assembléia na última sexta-feira à tarde.