Polícia Militar prende homens acusados de assassinato em Fortaleza do Abunã
Publicado Segunda-Feira, 30 de Julho de 2012, às 11:16 | LENILSON GUEDES

 

Policiais militares prenderam por volta das 15 horas do último domingo em Fortaleza do Abunã, Nilton Nascimento Caetano, 19, Ailton Nascimento Caetano, 26, acusados de serem autores do bárbaro assassinato de um homem e uma criança, na madrugada de sábado, 23, na Rua Nova, no centro daquele distrito.
            Atendendo determinação do  CIOP - Centro  Integrado de Operações Policiais em Porto Velho, o capitão PM Leite, Comandante do CPOC - Policiamento Ostensivo da Capital, no sábado, juntamente com a aspirante Adma e patrulheiro, fez o deslocamento até o distrito de Fortaleza do Abunã para prender os acusados.
            O policial militar juntamente com uma equipe do Centro de Inteligência da PM em Porto Velho, apoio de uma equipe de Fortaleza do Abunã, comandada pelo cabo PM Mendes, descobriu o local na mata onde os irmãos estavam escondidos,  prendendo Nilton Nascimento e Ailton Nascimento.
 
O crime
            Nilton disse aos policiais militares que estava em um bar juntamente com a esposa e mãe das vitimas, Julce, por volta de 1hora de sábado, quando Valdomiro apareceu, segundo ele, com uma arma branca, vindo a golpeá-lo. Ele foi a sua casa, comunicou ao irmão Ailton e se armaram;  ele  com um pedaço de madeira,  e Ailton com uma enxada.
            Ao encontrarem Valdomiro e a filha na Rua Acre, começaram a desferir golpes de madeira e enxada,  matando pai e filha. Foi dada voz de prisão a ambos e conduzidos a Central de Polícia em Porto Velho.
 
Comoção
            Diante da barbárie cometida pelos acusados do assassinato do pai e filha, a comunidade do distrito ficou estarrecida. Homens e mulheres saíram as ruas para fazer justiça contra este ato insano. O intento dos moradores do local só não aconteceu dada a pronta intervenção da Polícia Militar em localizar e prender os dois irmãos.  Um popular afirmou que se os dois fossem encontrados antes da Polícia, eles poderiam ter  “ o mesmo destino”.