Preço da cesta básica caiu em 15 capitais em julho, diz Dieese
Publicado Segunda-Feira, 30 de Julho de 2012, às 09:54 | G1

 

Produtos estão mais baratos do que há um ano, aponta pesquisa.
Porto Alegre foi a capital com a cesta mais cara.

O custo da cesta básica ficou menor em 15 capitais brasileiras em julho em relação ao mesmo período do ano passado, indica levantamento divulgado nesta quarta-feira (5) pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Já na comparação com junho, segundo a pesquisa Nacional da Cesta Básica, três das 17 capitais tiveram aumento nos preços: Manaus (0,75%), Brasília (0,69%) e Belém (0,05%). As outras 14 localidades apresentaram retrações, as mais expressivas verificadas em Goiânia (-8,11%), Rio de Janeiro (-3,78%), Fortaleza (-3,47%) e Curitiba (-3,19%).

De acordo com a pesquisa, Porto Alegre teve a cesta básica mais cara no mês: R$ 237,45, seguida de São Paulo (R$ 222,17) e Vitória (R$ 223,11). As cidades mais baratas foram Aracaju (R$ 173,47), Fortaleza (R$ 182,12) e João Pessoa (R$ 183,67).

 

Baixa em meses

Tanto de janeiro a julho quanto em 12 meses, a maioria das capitais pesquisadas registra variações acumuladas negativas. Em 2009, apenas três capitais tiveram aumento acumulado do preço da cesta básica no ano: Recife (3,64%); Salvador (1,37%) e Belém (1,34%).

 

As reduções mais expressivas foram verificadas no Rio de Janeiro (-11,64%) e em Aracaju (-10,25%).


Entre agosto de 2008 e julho último, segundo o Dieese, apenas Salvador – com alta de 0,03%, registrou pequena variação positiva. Quinze localidades indicam redução no custo da cesta, com destaque para Curitiba (-15,39%), Belo Horizonte (-13,14%), Aracaju (-11,77%) e Rio de Janeiro (-11,77%). A pesquisa da cesta básica ainda não era realizada em Manaus, em julho do ano passado.

  

Tempo de trabalho

De acordo com a pesquisa, a compra da cesta básica em julho comprometeu 97 horas e 12 minutos da jornada de um trabalhador que recebe o salário mínimo, na média das 17 capitais pesquisadas.

 

O resultado é menor do que o de junho, quando foram necessárias 98 horas e 58 minutos.

 

Na comparação a julho de 2008, a diferença é muito maior: naquele mês, o
comprometimento chegava a 117 horas e 08 minutos.