CASAL VAI AO MOTEL "DAR UMAZINHA", NADA FUNCIONOU E FORAM PARAR NA DP
Publicado Segunda-Feira, 30 de Julho de 2012, às 14:39 | O COMBATENTE

 
Investigadores da 7ª Delegacia da Capital esclareceram um caso de suposto racismo ocorrido num motel localizado na Zona Sul.
Segundo foi apurado, no último dia 17 de março um casal foi até o motel denominado "Sonhos", localizado no bairro Cohab, quando ao ocupar um apartamento, o casal verificou que o local apresentava mau cheiro, o chuveiro elétrico e a televisão não funcionavam.
Resolveram então reclamar à recepção do estabelecimento, mas o funcionário destratou o casal insinuando que "para fazer sexo não é necessário filme, nem água quente".
Indignados com o tratamento, o casal resolveu se retirar do local, mas na portaria foi exigido o pagamento pela utilização do Motel, mesmo o casal não tendo "usado" o quarto. Durante a cobrança o recepcionista, usando de acentuado sarcasmo, teria insinuado: "pra quê filme? Basta uma cama".
O casal não se conformou e questionou o tratamento, e o recepcionista passou a tratá-los com desrespeito e palavrões; por fim disse à mulher que ela era uma "preta safada", e que deveria pagar senão chamaria a polícia.
Foi registrada a ocorrência policial nº 1369/2009/7ª DP, e os investigadores esclareceram que o recepcionista se tratava de João Damasceno Ferreira Neto, que foi indiciado no inquérito policial nº 22/09/7ª DP por preconceito racial (artigo 140, § 3º, do Código Penal).
"O estabelecimento é palco de várias ocorrências, principalmente o de furto de objetos esquecidos, isso sem se levar em consideração a demanda reprimida, pois várias pessoas preferem se calar a se expor", explicou um investigador do sétimo distrito.