Rondônia :Número de atendimentos a mulheres vítimas de violência cresce 32% em 2008
Publicado Segunda-Feira, 30 de Julho de 2012, às 17:51 | FOLHA ONLINE

 

O número de relatos de mulheres vítimas de violência no país cresceu 32% no decorrer do ano de 2008 no comparativo com 2007. Números apresentados nesta segunda-feira pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, com base no serviço Ligue 180 --a central de atendimento à mulher--, apontam que de janeiro a dezembro de 2008 foram feitos 269.977 atendimentos contra 204.978 em 2007. A lei Maria da Penha, que pune com mais rigidez os agressores de mulheres, foi criada há cerca de dois anos e cinco meses.

Os dados mostram ainda um crescimento de 145% na quantidade de pessoas que pretendem se informar sobre a lei. Enquanto em 2007 47.975 ligações foram atendidas com o intuito de prestar esclarecimentos sobre a lei, em 2008 os atendimentos foram de 117.546.

Distrito Federal, São Paulo, Goiás e Rio lideram o ranking das denúncias. Na outra ponta estão Piauí, Amazonas e Rondônia. O cálculo é feito levando em conta um coeficiente de um atendimento a cada 50 mil.

O levantamento mostra que a maior parte das mulheres que entraram em contato com o Ligue 180 era negra (39,2%), se encontram na faixa etária entre 20 anos e 40 anos (53,2%), é casada (24,8%) e 33,3% delas cursaram parte ou todo o ensino fundamental.

Frequência

Segundo os dados apresentados hoje, das 24.523 denúncias, 64,9% das mulheres informaram sofrer agressões diariamente e outras 16,1% são alvo toda semana de destratos. A maior parte das agressões (63,2%) são praticadas pelos próprios companheiros. Em 57,2% dos casos relatados, os agressores estavam bêbados ou eram usuários de drogas.

Em 47,2% dos casos de denúncias, as mulheres dependiam financeiramente dos parceiros que as agrediam. Em 52,5% dos casos elas sofreram lesões corporais leves e em 94,1% das vezes as agressões ocorreram dentro de casa.