Amorim ressuscita campanha da década de 50 em defesa do petróleo
Publicado Segunda-Feira, 30 de Julho de 2012, às 12:19 | ARIQUEMES ONLINE

 

O deputado federal Ernandes Amorim (PTB) quer ressuscitar a mobilização pelo “petróleo é nosso” que resultou no fortalecimento da Petrobras, na década de 50, com uma similar: “o pré-sal é nosso”, como forma de assegurar a exploração e produção da nova maior bacia petrolífera do mundo, e conseqüentemente, seus lucros reinvestidos em obras sociais e de infra-estrutura no Brasil.

A proposta será apresentada, na próxima semana, à direção nacional do PTB, e ao principal ministro ligado ao partido, José Múcio (Articulações Institucionais), seguido de discurso na tribuna da Câmara dos Deputados.

Amorim defende uma mobilização nos mesmos parâmetros da década de 50, após a “briga internacional” gerada pelo anúncio recente do presidente Lula em criar uma estatal para cuidar do pré-sal, avaliada em 120 bilhões de barris de petróleo, o que assegura, segundo especialistas, o abastecimento do país durante cem anos.

A Petrobras, empresa que descobriu a camada pré-sal e tem tecnologia neste tipo de exploração tem um “problema” acionário: 62% do capital da Petrobras são privadas e, desses, 50% são de americanos, conforme relato do próprio presidente que criou uma comissão interministerial e um novo mote em defesa da exploração e produção do megacampo: “O Brasil não é da Petrobras. A Petrobras é que é do Brasil. Enquanto estiver embaixo da terra, o petróleo é da União”.

A mobilização, de acordo Amorim, visa reforçar essa luta, em decorrência de articulações americanas tentando “passar a perna” na Petrobras, tanto no Congresso Nacional quanto na grande mídia.

“A direção da Petrobras já demonstrou claramente que tem condições de explorar e produzir nesse megacampo. O Governo Lula tem sofrido pressão, principalmente americana, para tirar essa exploração da Petrobras. Não podemos aceitar. Não podemos nos curvar dessa forma. Querem tomar nossas riquezas na Amazônia, querem tirar nossas riquezas minerais e agora o pré-sal que além de nos abastecer por um século, ainda vai gerar investimentos sociais e infra-estrutura ao país. Fomos nós que descobrimos (Petrobras), está em nosso território, temos tecnologia, então temos condições de explorar. Temos que lutar no Congresso para assegurar nova legislação regulatória da exploração do petróleo e, essa mobilização será para isso”, defende Amorim.