Clima favorável para câncer de pele
Publicado Segunda-Feira, 30 de Julho de 2012, às 10:41 | Cristiane Abreu

 

Em Ji-Paraná, o calor e o sol intenso exigem a adoção de medidas especiais para evitar o câncer de pele. O uso regular de proteção solar, o auto-exame da pele faz do câncer de pele uma doença altamente curável, segundo a dermatologista Alessandra Dalla Martha Camarini. Não ficar exposto aos raios solares nos períodos mais críticos do dia, entre 10 e 15 horas, é recomendação básica, mas o mormaço também pode ser prejudicial para a pele.
Além do Câncer da Pele, o excesso de radiação ultravioleta pode causar dano aos olhos, diminuição da defesa do organismo e envelhecimento precoce. “Lamentavelmente, muitas pessoas se expõem inadequadamente ao sol e não procuram auxílio médico em tempo hábil. Quando detectado precocemente este tipo de câncer apresenta 100% de chance de cura”, explicou a dermatologista.
Alessandra informou que Câncer de pele é mais comum em indivíduos com mais de 40 anos sendo relativamente raro em crianças e negros. Pessoas de pele clara são sensíveis à ação dos raios solares e as principais vítimas do câncer de pele. “O cuidado com a pele com o uso de protetor solar deve começar a partir dos seis meses de idade. Está comprovado que se a pessoas tomar este cuidado até os 20 anos tem 90% de chance de não ter câncer de pele”, esclareceu.
A dermatologista e marido dermatologista Silmar Camarini atendem em média 30 pacientes diariamente e segundo Alessandra, duas apresentam a doença.

Atendimento
Pelo sistema Único de Saúde (Sus) não possível fazer consultas e diagnóstico da doença porque não há médico dermatologista em nenhum Centro de Saúde. A Santa Casa de Misericórdia firmou parceria com os dermatologistas Alessandra e Silmar para que uma vez por semana realizem consultas na entidade. O valor cobra é bem menor que o de uma clínica particular. O atendimento é feito em pessoas com renda baixa.